Campo

Foto: Imagem ilustrativa/Da web Cultivo orgânico Cultivo orgânico

Com o objetivo de mostrar tecnologias que contribuem para a prática de uma agricultura com baixa emissão de carbono, acontece nesta sexta-feira, 22 de agosto, dia de campo no Centro Agrotecnológico de Palmas – Agrotins. Estão programadas quatro estações técnicas e uma palestra.

A primeira estação é sobre amostragem de solos e recomendações de adubação. O pesquisador Deivison Santos, da Embrapa Pesca e Aquicultura, vai falar sobre a importância de uma boa análise de solo para que o produtor conheça o potencial de seu terreno e dele possa extrair melhores resultados. Para que a análise seja eficiente, é imprescindível que seja feita uma boa amostragem de solo.

Já a segunda estação vai tratar da importância da correção de solos e o palestrante será Roberto Cunha Carvalho, agrônomo da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural de Palmas (Seder).

O pesquisador Rodrigo Estevam Munhoz de Almeida, da Embrapa, é o palestrante da terceira estação técnica, cujo tema é o consórcio entre milho e braquiária na integração lavoura-pecuária-floresta (iLPF). Ele vai mostrar dados de produtividades de milho quando consorciado com diferentes tipos de capim: Brachiaria ruziziensisBrachiaria brizantha; e capim massai.

Já o pesquisador Alisson Moura Santos, também da Embrapa, vai falar sobre o componente florestal na iLPF. Ele mostrará tanto benefícios (a exemplo do aumento na diversificação da produção agropecuária e da melhoria da fertilidade do solo), como desvantagens (a exemplo dos custos relativos à implantação e à manutenção das árvores e da competição de gado debaixo das árvores) do sistema.

Após as estações técnicas, o agrônomo Fernando Fernandes Garcia, da Secretaria da Agricultura e Pecuária do Tocantins (Seagro), vai falar sobre o Plano Estadual ABC (Agricultura de Baixo Carbono) no Tocantins.

Técnicas em implantação

Cláudio França Barbosa, analista de transferência de tecnologia da Embrapa Pesca e Aquicultura, relata que, hoje, “falta para muitos (produtores rurais do Tocantins) a experiência de antecessores em boas  práticas agrícolas, aliada à instrução técnica correta sobre a adoção e o uso das novas tecnologias disponíveis”.

Ele relata que há regiões no estado em que têm sido implantadas técnicas de produção mais eficientes e sustentáveis. “Regiões como a chapada de Campos Lindos e do projeto Rio Formoso vêm se beneficiando com a melhoria da condição ambiental, o aumento da produtividade e consequentemente da rentabilidade e qualidade de vida de produtores, que adotaram as boas práticas agrícolas em sistemas integrados de produção, tais como a sucessão, a rotação e/ou o consórcio de culturas em plantio direto. Estes benefícios são comprovadamente sustentáveis para a zona rural”, explica.

Confira mais informações sobre agricultura de baixa emissão de carbono no blog do projeto ABC TO: http://www.abc-to.blogspot.com.br. (Ascom Embrapa)