Polí­tica

Foto: Antônio Gonçalves

Após realizar uma publicação em seu Twitter dizendo que a candidata a presidência da República, Marina Silva (PSB) não tem conteúdo para ocupar o cargo presidencial, o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP), afirmou em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta quinta-feira, 28 que não vê preparo na candidata. "Eu não vejo de onde ela estaria preparada para ser presidente do Brasil", disse o prefeito.

Carlos Amastha afirmou que a tranquilidade no cenário político deixado pelo ex-presidente da República, o petista Luis Inácio Lula da Silva, está sendo repassada pela atual presidente Dilma Rousseff. "Para ser presidente do País é preciso ter experiência, precisa ter equipe, precisa ter experiência de gestor. Então, o cenário do jeito que estava era muito tranquilo para o Brasil. Porque a gente tinha uma continuidade através da presidente Dilma que sabemos que é capaz e principalmente das parcerias que tem com Palmas. E mesmo que acontecesse alguma coisa e ela não fosse reeleita os outros dois (Aécio Neves (PSDB) e o falecido Eduardo Campos (PSB)) não representavam nada de mudança de rumos radicais na condução política do País", disse o prefeito.  

Ao afirmar que, para ser presidente do País, é preciso ter experiência, Amastha acrescentou dizendo que se a disputa continuasse do jeito que estava, com o falecido Eduardo Campos na cabeça de chapa, ai sim seria um grande desafio. “Tanto o Aécio Neves quanto o Eduardo Campos nem preciso falar das experiências administrativas. Os caras que governaram estados do tamanho do Pernambuco e de Minas Gerais com uma folha de serviços prestados como agente sabe. Acho que seria um grande desafio, mas acho que seria um desafio dentro das suas potencialidades. Então, eu fico realmente preocupado! Gostaria de estar equivocado, mas não vejo de onde ela (Marina Silva) estaria preparada para ser presidente”, reafirmou.

Ainda sobre Marina Silva e sua competência, o prefeito afirmou desconhecer sua capacidade de gestão para governar um País como o Brasil. "Eu desconheço de onde viria essa capacidade de gestão, de governar um País tão complexo como o Brasil”, disse Amastha. 

A Bolha Marina Silva

Os brasileiros parecem ainda não conhecerem amiúde a real Marina Silva que teve sua liderança política forjada e inflada como uma bolha a partir das bases partidárias do petismo e sob a liderança do ex-presidente Lula. Em seu próprio Estado, o Acre, a candidata teve apenas pouco mais de 100 mil votos na eleição presidencial passada e ficou em terceiro lugar, atrás dos então candidatos José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). O Estado do Acre tem, segundo projeções atualizadas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 790 mil habitantes. Destes, cerca de 350 mil habitantes residem na capital, Rio Branco. Portanto, muito pouco complexo e pequeno para provar-se um laboratório seguro no forjamento de uma presidente da República.  

Twitter

Em seu twitter o prefeito postou a seguinte frase: "Teremos segundo turno na eleição presidencial, com a Marina, na frente, infelizmente. Acho que n tem conteúdo para cargo de tamanha importância (sic)".

Eduardo Campos 

Hoje faz 15 dias que Eduardo Campos morreu em um acidente aéreo. Eduardo era o candidato a Presidência da República pelo PSB e Marina Silva era a candidata a vice-presidência. No entanto, após a morte de Eduardo, Marina se tornou a candidata à Presidência do Brasil. (Atualizada às 08h40 do dia 29-08-14)