Polí­tica

Foto: Divulgação

O senador Ataídes Oliveira (Pros), candidato a governador da coligação “Reage Tocantins”, disse durante comício realizado, em Tocantinópolis, na noite desse sábado, 21,  que o Tocantins está no fundo poço, “e só alguém sem amarras políticas e financeiras pode tirar nosso querido Estado dessa situação”.

Na ocasião, Ataídes afirmou que seus principais adversários são “incapazes” de solucionar os problemas do Estado, porque precisam prestar contas para seus investidores de campanha. “A nossa campanha é mantida com o dinheiro do nosso próprio suor e quando ganharmos não precisaremos prestar contas a financiadores de campanha”, assegurou o candidato.

De acordo com o candidato a governador da coligação “Reage Tocantins”, é preciso destinar todo o dinheiro da arrecadação do Estado para investimentos em Saúde, Educação, Segurança Pública e Infraestrutura. “Precisamos alavancar a economia do Tocantins e por isso precisamos investir toda a nossa receita nas áreas prioritárias, sem deixar parte dos recursos escorrer pelo danoso ralo da corrupção”, enfatizou.

Em sua fala, durante o comício, a candidata a vice-governadora Cinthia Ribeiro (PTN), afirmou que o Tocantins precisa de um gestor e que o nome mais preparado para assumir o cargo de governador do Estado é Ataídes. “O povo do nosso Tocantins está cansado de promessas. O povo quer alguém de compromisso no Palácio Araguaia e esse alguém é Ataídes”, destacou Cinthia.

O candidato a senador, deputado estadual Sargento Aragão (PTN) ressaltou que a coligação “Reage Tocantins” é a verdadeira oposição. “A população do Tocantins está cansado desses mesmos e veremos uma grande surpresa das urnas”, afirmou Aragão.

O evento contou ainda com a participação de diversas lideranças locais, como o ex-prefeito de Tocantinópolis, Antenor Queiroz (PSB), que também discursou e ratificou seu apoio a Ataídes. “Esse é o maior comício que já tivemos em Tocantinópolis nessa eleição! E não carregamos ninguém para vir, as pessoas vieram porque enxergaram no Ataídes a mudança que precisamos”, acrescentou.