Polí­tica

Foto: Divulgação

A CPI do Igeprev retomou as sessões nesta terça-feira, 18, apor prorrogação da Comissão que foi aprovada semana passada. Participaram o presidente Stalin Bucar (SD) e os deputados Sargento Aragão (Pros) e ainda José Roberto Forzani do PT. A convocação da ex-contadora do doleiro Alberto Yousseff, Meire Poza, que se tornou nula, foi novamente aprovada assim como a de Edson Santana Matos que foi responsável pelas aplicações do Igeprev há mais de dois anos. A CPI pediu ainda a convocação de analista de contas para assessorar a Comissão.

Na reunião foi lida a resposta da delegada da Polícia Federal, Andreia Pinto Albuquerque, à CPI que encaminhou informações sobre a Operação Miqueias e a agenda do doleiro Fayed. No ofício ela confirma “de fato imagens publicadas pelo blog são cópia fiel do caderno apreendido na residência do Fayed. Vale salientar que tal caderno não foi apreendido na Operação Miqueias e sim na Operação Infiltrados”, esclareceu.

A delegada informou ainda que um novo caderno também de posse de Fayed que continha anotações sugerindo envolvimento de pessoas que estariam ligadas á Igeprev.Nos anexos apareceram nomes de políticos do Estado como o deputado federal Eduardo Gomes e do ex-senador e deputado estadual eleito, Eduardo Siqueira Campos.

Na sessão houve uma discussão entre o deputado Aragão e o presidente que chegou a dizer:  “não gosto de balela não, só de coisas oficiais”, disse.

Aragão quer que a CPI vá na Polícia federal e peça uma investigação no Igeprev. “A polícia nunca investigou o Igeprev”, disse. O deputado apresentou um requerimento pedindo a convocação da deputada que encaminhou as informações.

O delegado José Evandro de Amorim foi substituído por Alberto Carlos Rodrigues Cavalcante que agora acompanha os trabalhos da CPI e vai analisar as informações encaminhadas pela Polícia Federal. “Aqui não tem orientação nenhuma de governo aqui, precisamos é nós aqui decidir as coisas”, garantiu o presidente que negou que o governo queira proteger alguns dos investigados com relação ao Igeprev.

O novo relator da CPI ainda não foi definido mas o presidente já pediu a indicação de um novo membro já que Raimundo Palito não estaria disposto a participar da Comissão.