Polí­tica

Foto: Divulgação

A Assembleia Legislativa aprovou decreto de autoria do deputado estadual do PMDB, José Augusto Pugliese que susta os efeitos do decreto nº 5.138, de autoria do governador Sandoval Cardoso (SD) que visa a desapropriação de uma área de 806 hectares em Palmas.

Pugliese disse ao Conexão Tocantins nesta quinta-feira, 4, que o decreto de Sandoval era nocivo para o povo do Estado. “Ele estava criando despesas sem previsão orçamentária além de criar um problema político municipal e federal  pois ele decretava a desapropriação de  3 praias q é do município, a rodoviária e até o aeroporto além da marinha e do exercito que são federal. Isso não existe”, afirmou.

No decreto era prevista a desapropriação de 86 quadras onde residem mais de 4 mil famílias. “Ele estava criando uma despesa infinita sem previsão orçamentária com a intenção clara de inviabilizar o próximo governo e tudo ia servir economicamente para a Terra Palmas”, acusou.

O decreto de Sandoval gerou grande discussão e divergências entre os deputados que questionaram qual a justificativa para as desapropriações.Os parlamentares criticaram a atuação da Terra Palmas e chegaram a pedir ao governo informações detalhadas sobre a composição societária.

No calor da polêmica, Sandoval chegou a dizer que não tem compromisso com o erro e que estava disposto a rever a proposta caso fosse necessário.