Estado

Foto: Divulgação

Candidatos do concurso da Secretaria da Defesa Social do Tocantins planejam uma mobilização para o dia 14 às 9 horas da manhã. O grupo cobra agilidade no certame já que a Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab) se nega a dar continuidade aos trâmites do concurso. Eles vão levar cartazes e carro de som para pedir que a Fundação dê seguimento ao certame.

No final da tarde desta segunda-feira, 12, o governo informou ao Conexão Tocantins que solicitou auditoria perante a Controladoria Geral do Estado (CGE) para análise do fundo designado para o pagamento do certame, além de consulta à Secretaria Estadual da Fazenda acerca das disponibilidades orçamentárias e financeiras para efetivar os pagamentos. Já a Funcab informou que  não houve avanço nas negociações.

O atual governo tenta todas as medidas para que a Fundação divulgue as notas da prova objetiva bem como a convocação para o teste de aptidão física já que o governo anterior não pagou R$ 2,3 mi das primeiras etapas do certame que prevê mais de 1.700 vagas. Ao todo foram 42 mil inscritos.

Segundo o grupo informou ao Conexão Tocantins os manifestantes irão ao Palácio Araguaia depois passarão na Assembleia Legislativa e em seguida irão á sede da pasta da Administração e ainda ao Ministério Público Estadual. "Montaremos uma comissão no local para discutirmos com os órgãos competentes, cobraremos compromisso, agilidade e resposta imediata", informou um dos líderes do grupo. A mobilização será feita também através das redes sociais.

O Ministério Público Estadual – MPE requisitou ao secretário da Administração do Estado, Geferson Oliveira Barros Filho, informações oficiais que esclareçam os motivos pelos quais a administração pública está inadimplente com a Fundação.

O governo já anunciou que não pretende cancelar o certame. O valor das inscrições não foi encontrado integralmente no Fundo específico do concurso.