Estado

Foto: Divulgação

O Sindicato dos Bancários do Tocantins (Sintec-TO) como representante e defensor da categoria bancária protocolou nesta quinta-feira, 15, carta na Polícia Federal, no Ministério Público do Trabalho, na Delegacia Regional do Trabalho e em todas as agências bancárias do Estado alertando sobre as diversas denúncias de bancários que estão trabalhando sem a mínima segurança devido a greve por tempo indeterminado dos vigilantes do Tocantins.

O Sintec destacou ainda que tal conduta é contra o que determina a Lei n° 7102/1985 no seu artigo 1° no qual: “É vedado o funcionamento de qualquer estabelecimento financeiro onde haja guarda de valores ou movimentação de numerário, que não possua sistema de segurança com parecer favorável à sua aprovação, elaborado pelo Ministério da Justiça, na forma desta Lei”.

Entre as denúncias, os bancários alegam ainda que em algumas agências do Estado, os mesmos estão desempenhando a função de vigilante e em outros casos os bancos estão fechados, mas continuam trabalhando internamente. O Sintec solicitou os órgãos competentes que a legislação seja cumprida com urgência.

O vice-presidente Célio Mascarenhas, destacou que há perigo eminente. “Não podemos deixar que esta situação de instabilidade continue. Todas as providências já foram tomadas e estamos atentos para garantir a segurança dos nossos trabalhadores”, destacou Mascarenhas.

Nesta sexta-feira, 16, diretores do Sintec visitaram algumas agências bancárias da Capital e alertaram do risco que os funcionários e clientes estão correndo. (Ascom-TO)

Por: Redação

Tags: Célio Mascarenhas, Sintec