Palmas

Foto: Antonio Gonçalves

Os comerciantes e empresários da Avenida JK de Palmas se reuniram na manhã desta sexta-feira, 6, para discussão sobre o impacto e transtornos causados pelo estacionamento rotativo na Capital. Segundo informou ao Conexão Tocantins, o empresário Élvio Quirino, participaram cerca de 200 pessoas e destes, 95 % decidiram pela suspensão imediata do projeto.

“Esse projeto nós não aceitamos discutir ele, nem flexibilizar horário, nem nada. Nós discutimos a possibilidade de apresentar outras alternativas para a Prefeitura, mas que os próprios comerciantes apresentem um outro projeto. Esse aí nós queremos a suspensão imediata dele”, afirmou.

Segundo Élvio, o próximo passo será pedir uma audiência com o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP) para que o prefeito solicite a empresa responsável que suspenda o projeto de estacionamento rotativo. “Ele (o projeto) está inadmissível, atingiu radicalmente as vendas, a comissão de venda dos vendedores. Inviável o para os consumidores, inviável para funcionários, para os proprietários, para todos os setores”, disse.  

Fabiano do Vale 

Em entrevista ao Conexão Tocantins o presidente da Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa), Fabiano do Vale, afirmou que está na tentativa de agendar para a próxima terça-feira, 10, uma reunião mais formal com os comerciantes da JK, o secretário Cristian Zini e se possível, o prefeito de Palmas, Carlos Amastha. 

Fabiano disse que toda mudança nos primeiros dias tem um impacto pesado. "Isso faz com que às vezes as pessoas tenham a sensação que o cliente sumiu. A primeira semana, ninguém está acostumado a pagar, acho que é uma questão de costume", disse. O presidente ainda informou que na próxima reunião serão discutidos junto a Prefeitura alguns pontos que os comerciantes colocaram como pauta mais formalmente. "Vamos estar fazendo uma coisa mais formal, foi muito informal (a reunião). Saber o que realmente está acontecendo, sabermos da Prefeitura o que podemos melhorar", afirmou.

Cristian Zini

O secretário de Mobilidade de Palmas, Cristian Zini afirmou em entrevista que o sistema é no sentido de democratizar as vagas e ainda afirmou que "ao mesmo tempo que temos críticas de alguns comerciantes, temos muitos elogios", afirmou. 

O secretário disse que em apenas uma semana de funcionamento do projeto ainda não da para fazer uma avaliação. "As pessoas tem que entender que palmas foi desenhada de uma forma que não comporta a quantidade de veículos que tem hoje", disse. (Matéria atualizada às 14h56min)