Educação

Foto: Janair Siqueira

Nesta sexta-feira, 27, é comemorado o Dia Nacional do Livro Didático, com o intuito de mobilizar escolas e alunos para refletirem sobre a sua importância. As escolas já estão recebendo os livros novos para o ensino médio e para a Educação de Jovens e Adultos. De acordo com informações do PNLD (Programa Nacional do Livro Didático), para o Tocantins foram destinados 798.062 exemplares, beneficiando 273 escolas e 67.596 alunos, somente no ensino médio.

Estão sendo distribuídos este ano, exemplares das disciplinas de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira (Inglês e espanhol), Matemática, História, Geografia, Sociologia, Filosofia, Biologia, Física e Química, que serão utilizados no período de 2015 a 2017. A novidade são os livros de Artes que passaram a ser entregues pela primeira vez para os estudantes do ensino médio.

A Secretaria da Educação enviou para cada Delegacia Regional orientações com sugestões de atividades para o uso e conservação dos livros, como explicou a professora Célia Maria Fernandes de Moraes, técnica da Seduc, responsável pelo programa. “O livro didático é uma das ferramentas importantes mais utilizadas pelo professor e pelo aluno e é essencial para o processo de aprendizagem”, frisou Célia.

Dentre as orientações está a proposta de realizar campanhas educativas para que os estudantes cuidem melhor do livro; de organizar uma data para reunir pais, discentes e professores com atividades como teatro, leituras e apresentação das obras, além da realização de uma oficina de recuperação dos livros danificados.

No Centro de Ensino Médio Castro Alves, em Palmas, a distribuição já está sendo realizada com as devidas orientações para o uso dolivro. “Esse trabalho de conscientização foi feito na escola por meio de conversas na sala de aula e na biblioteca, mas é uma ação que fazemos constantemente”, disse Rosemari Elizabeth Dunck, coordenadora pedagógica.

Livro Didático

A adoção do livro didático no Brasil teve início em 1929, com a criação do Instituto Nacional do Livro (INL). No decorrer dos anos, a política de distribuição passou por várias adaptações, até chegar ao atual PNLD (Programa Nacional do Livro Didático), criado em 1985. (Ascom Seduc)