Cultura

Foto: Josy Karla

O prédio antigo, que foi a primeira sede do Poder Legislativo do Estado do Tocantins, será revitalizado pelo Governo estadual e transformado em um Museu do Legislativo. Um grupo de historiadores e museólogos da Secretaria da Educação realiza um estudo de utilização do prédio, que é tombado como patrimônio cultural do Estado.

O local tem mais de 15 salas, que serão usadas para preservar acervo e registro da história do Legislativo, bem como de outros aspectos culturais do Tocantins, segundo explica o assessor da área da Cultura, Cláudio Nogueira. “Foi uma determinação do governador Marcelo Miranda e do secretário Adão [Francisco de Oliveira, secretário da Educação] que  o espaço seja utilizado em prol da valorização da cultura do Estado e para atender as atividades culturais, educacionais e sociais”, frisou.

A meta é fazer ainda uma programação especial para o público jovem e os alunos das escolas estaduais. “Queremos ampliar e diversificar o acesso à cultura e já estamos trabalhando nesse projeto. Primeiro vamos organizar o local, depois encaminhar o projeto para o Ministério da Cultura para fazermos as parcerias necessárias”, frisou.

Cenário de abandono

O local está num estado de total abandono, com mato tomando conta das entradas de acesso e muita sujeira. Responsável pelo patrimônio da Secretaria da Educação há mais de 10 anos, Joana Mundurucu explica que o local onde funcionava o plenário da antiga Assembleia foi demolido pela gestão passada. “Uma parte já foi demolida, infelizmente, isso aqui é patrimônio cultural e cabe a nós cuidar. Todo prédio público, que é tombado, precisa ser usado em prol da sociedade. No outro Governo do Marcelo Miranda, ele sempre teve essa preocupação e fez uma reforma aqui no prédio junto com o Palacinho, ele sempre teve essa visão de patrimônio e autorizou que o prédio fosse revitalizado e até conseguimos parceria com o Iphan [Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional], que liberou recursos para a obra, mas o governo que assumiu depois não teve interesse”, relata.

Na teoria, o espaço que foi demolido seria transformado na Casa do Artesão e o projeto já estava pronto, mas não saiu do papel. “Hoje, aqui está um abandono total, roubaram o equipamento elétrico, pegou fogo nas madeiras doadas pelo Naturatins [Instituto Natureza do Tocantins] para a restauração, e chegaram até a invadir aqui. A Casa Militar teve que mandar guarda para evitar a deterioração total do local”, disse.

Em 2009, através de parceira com Iphan, o Governo do Estado iniciou reforma do antigo prédio. Em 2014, chegou a ser anunciada ordem de serviço para obras no local, porém, o prédio continua sem condições de uso. Joana afirmou que a dificuldade de acesso dificulta ainda mais a conservação do local.

Em sua gestão anterior, o governador Marcelo Miranda propôs que o local contemplasse todos os segmentos artísticos, como as artes plásticas e cênicas, música, literatura e artesanato através da construção de espaços específicos como dois miniauditórios, centro de apoio ao artista popular e locais para oficinas e workshops.

Museus

O Estado tem o Memorial Coluna Prestes e o Museu História do Tocantins, no Palacinho. A intenção para este ano é ampliar e melhorar o acesso à cultura. “Além de toda a parte da história do Tocantins, da luta de separação, dos quilombolas e demais aspectos culturais, vamos fazer oficinas e atividades móveis”, adiantou Cláudio Nogueira. Paralelo ao trabalho de revitalização dos museus, a meta é conseguir colocar para funcionar o Sistema Setorial de Museus e ainda o da Biblioteca Central. “Infelizmente, o acervo do Estado está jogado de forma criminosa, mas vamos trabalhar para recuperar tudo isso”, disse. (Secom-TO)

Por: Redação

Tags: Cláudio Nogueira