Saúde

Foto: Divulgação Na ocasião, o ginecologista e consultor do Ministério da Saúde, Osmar Ribeiro Colás, ressalta que o Dona Regina e Tia Dedé serão parceiros do MS Na ocasião, o ginecologista e consultor do Ministério da Saúde, Osmar Ribeiro Colás, ressalta que o Dona Regina e Tia Dedé serão parceiros do MS

Segundo dados do Serviço de Atenção Especializada às Pessoas em Situação de Violência Sexual (Savis) do Hospital e Maternidade Dona Regina (HMDR), uma em cada cinco mulheres será vítima desse tipo de violência em algum momento na vida. O Sistema Único de Saúde (SUS) garante o atendimento integral às mulheres e a legislação vigente atesta a interrupção legal quando a gestação é resultante de estupro.

Diante dessa realidade, servidores do Savis do Dona Regina e do Hospital e Maternidade Tia Dedé, de Porto Nacional, participaram do programa de treinamento multiprofissional do Ministério da Saúde, através de um convênio com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O programa prevê o treinamento e capacitação de hospitais preferencialmente universitários e de ensino, tanto no atendimento às pessoas em situação de violência sexual como na realização das interrupções da gestação nos casos previstos em lei.

Segundo o ginecologista e consultor do Ministério da Saúde, Osmar Ribeiro Colás, o principal objetivo do treinamento foi o de amparar os profissionais nos casos de abortos previstos em lei, levando em consideração que este é um assunto polêmico. O consultor ainda elogiou a atuação do Savis do HMDR e ressaltou que o treinamento serviu para reciclar e ampliar o conhecimento dos profissionais que atuam no serviço. “O Savis daqui está muito bem organizado, viemos com o propósito de reciclar e reforçar junto ao Ministério que este hospital é parceiro para os atendimentos de abortos previstos em lei. A partir de agora, a equipe de atendimento se tornará multiplicadora de conhecimento”, destacou.

A coordenadora e assistente social do Savis do Dona Regina, Zelma Moreira da Penha, enfatizou a importância da parceria com o Ministério da Saúde. “Considerando que o Dona Regina é a maternidade referência no procedimento de interrupção da gestação nos casos, é extremamente importante que os profissionais tenham amparo técnico para realização dos procedimentos e ampliem seus conhecimentos. Além da capacitação, a partir de agora, teremos o reconhecimento e todo o amparo do Ministério da Saúde, o que é um grande avanço”, disse.

A diretora do HMDR, Cristina de Freitas, também destacou a importância do reconhecimento do MS e afirmou que “o Estado do Tocantins ganha com a qualificação dos servidores, que serão multiplicadores para outras unidades de saúde do Estado”.

Duas equipes de treinadores multiprofissionais da Universidade Federal de São Paulo ministraram o curso juntamente com representantes do Ministério da Saúde. Participaram da capacitação toda equipe multiprofissional do Savis dos hospitais Dona Regina e Maternidade Tia Dedé. Ao final do treinamento, foi entregue certificado do Ministério da Saúde/Unifesp. (Ascom Sesau)