Meio Ambiente

Foto: Divulgação

A 6ª Semana da Água, com o tema Água e Sustentabilidade em tempo de escassez, teve sua abertura oficial realizada na manhã desta quarta-feira, 25, com palestras e discussões realizadas no auditório do Tribunal de Contas do Estado. Na ocasião, o diretor presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu Guillo, falou sobre a necessidade de monitorar nossos recursos hídricos para evitar os casos extremos de seca ou cheias excessivas. 

Também estiveram presentes o governador do Estado, Marcelo Miranda e o diretor presidente da Odebrecht Ambiental | Saneatins, Pablo Andreão, que expôs o cenário enfrentado na região sudeste do País, afligida por uma seca, apresentando previsões para o ano de 2030, que trazem a possibilidade de falta de abastecimento para 40% da população mundial. "Esses dados são muito preocupantes. E nós, aqui no Tocantins, não podemos deixar de lado em função da nossa abundância de água. Nós da Odebrecht Ambiental | Saneatins, junto com os governos do Estado e de municípios, fazemos parte do desafio de levar saneamento para 47 cidades do Tocantins. Hoje, já fornecemos água para 1 milhão de habitantes e continuamos investindo nesse serviço", afirmou. 

Andreão também destacou o fato de que o Tocantins figura como o Estado das regiões Norte e Nordeste com o menor percentual de perda de água. "Mesmo com a grande disponibilidade de água, não estamos deixando de lado a agenda de combater o uso não sustentável e o desperdício", explicou. Em relação aos serviços de esgoto, Andreão pontuou que o Tocantins trata 100% do esgoto coletado, atendendo 40% da população do Estado e com a perspectiva de dobrar esse percentual nos próximos anos. 

Para o diretor presidente da ANA, a situação de escassez que vive o Sudeste do país abre uma grande oportunidade: a possibilidade de trazer o problema para as discussões do cotidiano promovendo a consciência social sobre o assunto. "É preciso ter um compromisso com a manutenção permanente da qualidade e da quantidade de água. Não podemos esperar que algumas chuvas e que as abundâncias regionais façam parecer que o esse problema [escassez da água] não vá surgir ou não exista", explicou. 

O governador Marcelo Miranda destacou a relação entre progresso econômico e social e os cuidados com a água e elogiou o trabalho e a parceria com a Odebrecht Ambiental | Saneatins. "A nossa visão precisa ser sistêmica, é preciso responsabilidade, articulação e compreensão de todos os atores. O Tocantins não será próspero sem água de qualidades para todos. A força da nossa economia vem da água que abastece as atividades do campo. Na indústria no comércio e no bem estar da população a água é produto essencial. Aqui quero destacar o trabalho da Odebrecht Ambiental no Estado, principalmente na área de saneamento", pontuou Miranda. 

Acordo 

No evento ainda foi assinado um acordo que firma parceria entre o governo estadual e a ANA para estabelecer mecanismos de vigilância e monitoramento das fontes de água no Estado. O acordo prevê a gestão sistemática dos recursos hídricos, por meio da divulgação de dados padronizados com diretrizes estabelecidas em resoluções da ANA, sobre a qualidade das águas superficiais no País a toda a sociedade. 

Com a assinatura do termo, o Tocantins deixa de integrar o grupo de 12 estados brasileiros nos quais o monitoramento é inexistente ou não está consolidado. A proposta visa também promover a implementação da Rede Nacional de Monitoramento da Qualidade das Águas (RNQA), no âmbito do Programa Nacional de Avaliação da Qualidade das Águas (PNQA).