Estado

Foto: Divulgação

O Governo do Estado já tomou algumas medidas, além das judiciais com relação à greve dos mais de 1.500 policiais civis, segundo informou ao Conexão Tocantins. Houve corte do ponto, e, em um segundo momento, podem ser abertos processos administrativos contra os que não retornaram ao trabalho. 

Sobre o ponto, o corte inicia a partir do primeiro dia de falta ao trabalho, justificada em razão da greve, e termina com o retorno do policial civil ao trabalho, segundo informou o governo. Já a contratação de servidores temporários ainda está em estudo. “Se ocorrer, será para atender apenas nesse período de excepcionalidade, durante a greve.  Os trabalhadores contratados executariam serviços administrativos e que não são específicos da carreira da Polícia Civil”, informou o governo ao Conexão Tocantins.

No entanto, nesta quarta-feira, 25, muitos policiais civis já comunicaram oficialmente o retorno ao trabalho, por isso, a expectativa é de que essa necessidade seja bastante reduzida. 

O prazo para essa comunicação terminou hoje, às 18 horas, e nesta quinta-feira, 26,  será disponibilizado um balanço do quantitativo de policiais que entenderam a necessidade de retomar o trabalho até que a situação econômica do Estado permita o pagamento do alinhamento, segundo o governo.