Estado

Foto: Emerson Silva

A Aldeia Wary-Lyty, no território Indígena Xambioá, foi a primeira localidade a receber a etapa local da Conferência Estadual de Cultura indígena. A ação que foi realizada nos dias 5 e 6 de junho, contou com 90 indígenas de três etnias diferentes, sendo elas: Apinajé, Krahô e Xambioá.

A etapa de conferências locais antecede a Conferência Estadual de Cultura Indígena, que será realizada nos dias 1 e 2 de agosto, na cidade de Palmas e conta com a parceria da Secretaria Estadual da Cultura (Secult) e Fundação Nacional do Índio (Funai) para sua realização.

De acordo com a técnica de cultura indígena da Secult, Narubia Werreria, as etapas regionais tem o intuito de iniciar os debates para a construção das diretrizes indígenas que deverão compor o Plano Estadual de Cultura. “Nesse primeiro contato os povos indígenas começam a se preparar para a construção efetiva de suas políticas para elaboração do Plano Estadual de Cultura. Assim eles podem levar as discussões para dentro de suas aldeias, dando continuidade à elaboração de propostas na sua comunidade, num processo construído por eles, vindo das bases”, concluiu.

Para os participantes, o processo descentralizados ajuda a fortalecer e articular os povos indígenas. Para Roberto Krahô, as propostas que partem de dentro da aldeia refletem melhor a realidade dos indígenas. “Nós encontramos força no coletivo e fortalecemos nossas propostas, precisamos estar constantemente organizados para termos voz lá fora”, declarou.

Durante o encontro diversas questões foram levantadas pelos participantes, como a necessidade de projetos que venham resguardar o repasse do saber tradicional, que aos poucos vai se perdendo, além de uma proposta sustentável para que o indígena consiga desenvolver e melhor aproveitar os recursos na sua aldeia. Durante essa etapa também são escolhidos os delegados que irão participar da Conferência Estadual.

Serão realizadas ainda mais três conferências locais, na Aldeia Santa Izabel do Morro (Território Indígena Karajá), Aldeia Canuanã (Território Indígena Javaé) e no Centro de Ensino Médio Indígena - CEMIX (Território Indígena Xerente).