Polí­tica

Foto: Divulgação A aeronave transportava R$ 500 mil e santinhos do então governador Marcelo Miranda A aeronave transportava R$ 500 mil e santinhos do então governador Marcelo Miranda

O Tribunal Regional Eleitoral vai julgar a partir das 17 horas desta terça-feira, 23, a ação que pede a cassação do governador Marcelo Miranda (PMDB) e da vice, Claudia Lelis (PV). A acusação do Ministério Público Eleitoral é de suposto caixa 2. O caso envolve um avião apreendido em Goiás durante a campanha eleitoral do ano passado. A aeronave transportava R$ 500 mil e santinhos do então candidato a governador Marcelo Miranda.

Em entrevista ao Conexão Tocantins nesta terça-feira o advogado de defesa do governador, Solano Donato, que fará a sustentação oral na sessão, reafirmou que não há nenhum envolvimento dele com o episódio. “Existem várias questões citadas que mostram a nulidade de provas total e com relação às quebras de sigilo nada demonstra nenhum tipo de envolvimento com o Marcelo”, garantiu o advogado.

A apreensão do avião bi-motor, prefixo PR-GCM com o dinheiro e santinhos aconteceu no dia 18 de setembro, dia em que quatro pessoas foram presas suspeitas de envolvimento com lavagem de dinheiro e segundo versão de um dos presos, destinação de verba para campanha eleitoral de Marcelo Miranda.

Durante a campanha o então candidato negou veemente qualquer envolvimento com o caso. No avião, além do dinheiro e dos materiais de campanha de Marcelo, também foram encontrados santinhos do ex-governador e candidato a deputado federal, Carlos Henrique Gaguim (PMDB) que também nega veemente qualquer envolvimento no caso.

A Procuradoria eleitoral alega que tem provas que comprovam a ligação do dinheiro apreendido com os envolvidos.