Estado

Foto: Divulgação

No dia 13 de agosto o presidente da Associação dos Praças Militares do Estado do Tocantins (APRA/TO), João Victor de Freitas, recebeu na sede da entidade, o representante da Comissão dos Excedentes do Concurso da PMTO 2013, Wilian Xavier Lopes, e o sobrinho do governador do Estado, Rafael Miranda. Na ocasião, tratou-se sobre a importância de convocar os excedentes no momento em que muitos militares estão aposentando e o efetivo está reduzido em todo o Estado.

Rafael Miranda falou da importância de chamar os excedentes, pois o aumento do efetivo na Polícia Militar trará mais celeridade e economia para o Estado e poderá atender de forma mais rápida a sociedade.

Segundo Wilian Xavier, o não aproveitamento dos excedentes, afronta a estrutura constitucional que prevê como princípios norteadores da Administração Pública a eficiência, economicidade, razoabilidade, entre outros, pois existe uma grande quantidade de candidatos considerados aptos para realizarem as outras etapas do certame. O representante da Comissão dos Excedentes da PMTO 2013 acrescenta ainda que a utilização dos aprovados do concurso de 2013, trará uma redução de gastos públicos, evitando novo dispêndio para a realização de outro concurso, observando a atual situação financeira do Estado.

Para o presidente da Apra/TO, as cidades, principalmente do interior, estão com efetivo abaixo do normal. Além do mais, de acordo com o levantamento feito pelo IBGE e divulgado na quinta-feira (27), dos sete estados da região norte o Tocantins tem o terceiro pior déficit na proporção de policiais por habitantes. Assim, a Apra/TO entende que é de suma importância chamar o mais rápido possível os excedentes para resolver o problema do baixo efetivo na Policia Militar do Tocantins.