Campo

Foto: Adilvan Nogueira No dia 20 de setembro tem início a colheita do capim dourado pelas comunidades tradicionais do Jalapão No dia 20 de setembro tem início a colheita do capim dourado pelas comunidades tradicionais do Jalapão

No dia 20 de setembro tem início a colheita do capim dourado pelas comunidades tradicionais do Jalapão, que vai até o dia 30 de novembro. A data é regulamentada para garantir o manejo sustentável do capim dourado, matéria-prima dos artesanatos e principal fonte de renda das comunidades da região.

Para comemorar essa atividade, será realizada a 7ª Festa da Colheita do Capim Dourado, que acontece nos dias 18, 19 e 20 de setembro, no povoado quilombola Mumbuca, no Jalapão. O evento é uma realização da Associação dos Artesãos do Povoado Mumbuca, e este ano conta com apoio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) e da Secretaria Estadual da Cultura (Secult), entre outros parceiros.

A festa acontece tradicionalmente há cerca de 7 anos. Na programação, diversas atividades que valorizam e fortalecem a cultura e a economia das comunidades envolvidas, como rodas de conversas e prosas, degustação de comidas típicas, visita aos atrativos turísticos, comercialização de produtos da agricultura familiar, atrações culturais regionais e artesanato com o “ouro do Tocantins”, como é chamado o capim dourado.

Na ocasião, o secretário da Cultura, Melck Aquino, irá representar o governador Marcelo Miranda na abertura oficial do evento, a ser realizada nesta sexta-feira, 18, às 18h, no povoado Mumbuca.

Selo de Identificação Geográfica do Artesanato do Capim Dourado

Na sexta-feira, 18, às 15h, a coordenadora de economia criativa da Secult, Gilceia Medeiros, vai comandar uma roda de conversa sobre o Selo de Identificação Geográfica do Artesanato do Capim Dourado, na sede da Associação dos Artesãos do Povoado Mumbuca.

O certificado é concedido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). O Selo tem o intuito de agregar valor a ativos intangíveis de uma determinada região brasileira. No Brasil existem 38 registros das Indicações Geográficas, sendo a do Artesanato do Capim Dourado na região do Jalapão, a única indicação da região Norte. 

No Tocantins, a Secult é a instituição certificadora do Selo de Indicação Geográfica e a Associação dos Artesãos em Capim Dourado da região do Jalapão (AREJA) é detentora do selo.