Polí­tica

Foto: Divulgação

O presidente da Câmara de Palmas, vereador Rogério Freitas (PMDB) foi à tribuna da Casa na sessão desta quarta-feira, 30, rebater afirmações do secretário da Saúde em Palmas, Luiz Carlos Teixeira, em relação à folha de pagamento da pasta. O debate de hoje foi fruto da prestação de contas da Saúde realizada nessa terça-feria, 29, momento em que o secretário contestou a informação de que a pasta que gerencia havia tido aumento nos gastos. Segundo Rogério Freitas, que estava com documentos em mãos, houve um aumento de mais de R$ 380 mil na folha do mês de julho para agosto deste ano na Saúde. “Em julho foi de R$ 9.344.253,17 com o patronal e no mês de agosto, a folha de pagamento foi para R$ 9.726.884,71”, informou.

O secretário Luiz Teixeira negou o aumento na folha em sessão solene para discussão sobre a Saúde de Palmas na terça. Após a sessão, o vereador Rogério Freitas foi a Secretaria Municipal de Finanças para obter documentos e constatou o contrário. “O secretário disse aqui de forma contundente, áspera, ou meio que com chilique, onde é que eu havia encontrado a informação que dava conta que a folha de pagamento da Saúde do mês de julho para agosto havia aumentado. Eu fiz questão de ir novamente a Secretaria pegar os documentos e trazer”, afirmou.

Rogério Freitas disse ainda que a Secretaria Estadual de Saúde anda na contramão do que é apregoado pelo chefe do executivo municipal, liderado pelo prefeito Carlos Amastha (PSB). Segundo Freitas “ou ele (o secretário) vive num mundo que é só dele ou ele não se importa pelo período crítico pelo qual o município enfrenta, assim como os estados e a união. Ou ele faz questão de mentir deliberadamente, porque número não mente!”, criticou e completou: “Querer desacreditar essa casa tem que provar!”, frisou.

Milton Neris (PR) apoiou as declarações de Freitas, disse que o secretário demonstra não estar em sintonia e completou: "Quando se pagou a folha de julho que veio a determinação dos cortes e que se estabeleceu 20% para cada unidade gestora, a meta que a Secretaria de Saúde teria que cumprir no mês seguinte, seria uma redução de algo em torno de R$ 1.868 milhão. 20% de sua folha de R$ 9 milhões gastos", afirmou.

De acordo com Neris, a folha do mês de agosto não poderia passar de R$ 7.475 milhões. "O que me preocupou é que em agosto, mesmo não concordando o secretário aqui ontem e acho que ele está mal orientando, houve um incremento de R$ 383 (mil) em relação ao que se pagou em julho. Ao invés de reduzir ele está gastando mais", disse. Segundo Neris, todos os dados estão disponíveis no Portal de Transparência. 

O líder do governo, vereador José do Lago Folha Filho (PTN) tentou explicar. Segundo o parlamentar "tem uma informação desencontrada. Quero pedir a vossas excelências que tenham um pouco de paciência. Não estou dizendo que o secretário não tenha em mãos a informação precisa. Talvez ontem não teria essa informação mas que quero pedir compreensão para que possa trazer a informação precisa amanhã", afirmou. 

Palco político

Segundo Rogério Freitas, o secretário Luiz Teixeira, afirmou na tribuna na sessão solene de ontem que a Câmara parecia mais um espaço político. Freitas lamentou. “Lamento muito a ignorância do mesmo, mas todos os membros que aqui estão são fruto da política e aqui é exatamente a casa do contraditório”, afirmou. 

Ultimamente, os secretários de Palmas estão sendo alvos de críticas por parte dos vereadores da Capital. O vereador Milton Neris já chegou a chamar a secretária Cleide Brandão de ordinária por suas atitudes. Rogério Freitas apoiou Neris e acrescentou que a Prefeitura tenta cercear o direito dos vereadores. 

A secretária Eliane Campos, da Ação Social, também já foi alvo de críticas. O vereador Rogério Freitas disse que a secretária quer que Palmas tenha Secretaria da miséria absoluta.