Estado

Foto: Divulgação

Com previsão de gerar 1.400 empregos diretos em Paraíso do Tocantins e outros cinco municípios tocantinenses , a empresa Belo Monte Transmissora de Energia (BMTE) e a empreiteira Tabocas já estão realizando os procedimentos de instalação dos canteiros de obras para construção de trecho da Linha de Transmissão Xingu (PA) / Estreito (MG) na região. Na noite dessa quarta-feira, 8, representantes das empresas se reuniram com empresários e membros de instituições em Paraíso para expor as demandas em termos de mão-de-obra e contração de produtos e serviços previstos para a execução do empreendimento.

O evento, promovido pelo Governo do Tocantins, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), foi realizado na sede da Associação Comercial e Industrial do município (Acip), com o objetivo de aproximar o empresariado local dos responsáveis pelas obras, como forma de favorecer a concretização de bons negócios entre a Belo Monte, a Tabocas e os agentes locais.

De acordo com o superintendente de Desenvolvimento Econômico da Sedetur, Vilmar Carneiro, por se tratar de um grande investimento que se dará em solo tocantinense, o Governo do Estado tem a missão de buscar a garantia de geração de empregos, de renda e a contratação das empresas tocantinenses, especialmente aquelas localizadas no entorno dos municípios onde haverá canteiros de obras. “Em parceria com a empresa, buscamos promover o conhecimento da sociedade, trazer para a cidade a informação de que, em havendo essas obras, existem oportunidades de emprego”,  destacou.

Para o prefeito de Paraíso, Moisés Avelino, por meio da geração de empregos e negócios,  há grande perspectiva de se alavancar  a economia. “Paraíso ganha muito com isso e a gente está muito satisfeito em ter esse canteiro de obras instalado na nossa cidade que, com certeza, vai trazer muitos benefícios para a nossa comunidade e para o município”, pontuou.

Canteiros de apoio

Na região, além do canteiro central que será instalado em Paraíso, com previsão de geração de 400 empregos diretos, serão construídos outros cinco canteiros de apoio: em Dueré, Cristalândia, Abreulândia, Goianorte e Juarina, com estimativa de 200 empregos diretos em cada uma das cidades. O gerente de Linhas de Transmissão da empresa Belo Monte, Anderson Menezes, informou que a expectativa é que a obra comece no final do mês de novembro. “Para isso, precisa que o Ibama [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis] emita a Licença de Instalação do empreendimento. Após essa liberação, nós iniciaremos a obra imediatamente e ela terá um prazo de aproximadamente 21 meses”, relatou.

Ele também avaliou que as reuniões promovidas pela Sedetur, tanto em Paraíso quanto em Gurupi (sede de outro canteiro central da linha de transmissão no Tocantins) estreitaram, de fato, a relação entre a Belo Monte, as empreiteiras e as empresas locais. “ Isso é muito válido, pois facilita o início da obra e ajuda os empresários a saberem onde buscar espaço para a venda dos seus produtos e serviços”, considerou.

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Paraíso (Acip), Antônio Carlos Cabral reforçou que o momento é de buscar qualificar e profissionalizar pessoas e empresas para atenderem às demandas. “Não adianta vir só a demanda, se nós não estivermos preparados para esses empregos. Vamos conhecer a necessidade da empresa para que possamos indicar os profissionais no ramo certo. Esse estreitamento traz resultados para toda a sociedade”, pontuou, reforçando a importância da inciativa do Governo.