Polí­cia

Foto: Divulgação Laura é mais uma criança que figura na lista de pessoas desaparecidas Laura é mais uma criança que figura na lista de pessoas desaparecidas

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Palmas/TO assumiu as investigações sobre o desaparecimento da menina Laura Vitória Oliveira da Rocha, 9 anos, vista pela última vez na manhã do sábado dia 9 de janeiro, no Setor Lago Sul, em Palmas. O delegado João Sérgio Vasconcelos Kenupp não descarta a possibilidade de a criança estar morta. De janeiro a outubro de 2015, a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) registrou 186 pessoas desaparecidas no Estado, sendo que 80 delas continuam sem dar notícias.

Kenupp disse que o caso da garota, antes sob a responsabilidade Delegacia de Proteção à Criança e o Adolescente (DPCA), foi repassado para a DHPP na tarde da última quarta-feira, mas que até ontem não era possível afirmar o paradeiro de Laura. Na manhã de ontem, a mãe da menina, Sioni Pereira de Oliveira, 27, prestou depoimento. O celular dela foi apreendido pela polícia. O caso corre sob sigilo.

Trajeto

A avó materna da menina, Jussandra Pereira de Oliveira, com quem Laura morava, percorreu o trajeto entre o apartamento e o supermercado Supremo, no Setor Lago Sul, local onde a garota foi vista pela última vez antes de desaparecer, e mostrou onde ela acha que a criança sumiu: um trecho de terra de cerca de 300 metros, com poucas casas, algumas construções não terminadas, mato alto e quase nenhuma movimentação de pessoas.

No supermercado, onde a Laura já havia ido minutos antes comprar cheiro verde e estava retornando para comprar uma lata de milho, existem seis câmeras instaladas, sendo uma externa e cinco internas. As imagens do circuito mostram a menina entrando e saindo do comércio por volta das 11 horas. A avó disse que as imagens são da primeira vez em que Laura foi ao mercado. “Quando ela chegou lá em casa eu pedi para comprar milho e percebi que alguma coisa a incomodava, porque ela não queria voltar, mas nem me toquei na hora. Eu acho que alguém já tinha mexido com ela no caminho”, contou.

Suspeito

Para a avó, Laura foi raptada por um homem que supostamente estava se relacionando com Sioni. “Não tem quem tire da minha cabeça que foi aquele rapaz da moto. O meu suspeito é aquele homem. Segundo ouvi falar, ela (mãe da Laura) o namorava”, disse.

Sioni mora no mesmo prédio que sua mãe, mas em outro apartamento, com outros dois dos seus quatro filhos. Ela não foi localizada para comentar o caso. O pai de Laura, Genesis Ribeiro, 25 anos, mora na região Norte da Capital, mas desde o sumiço ajuda a ex-sogra nas buscas pela menina. Ele falou que não tem contato com a mãe da criança desde a separação, quando ela ainda estava grávida de seis meses de Laura.

Em 2014 foram 387 desaparecidos e em 2015 foram 186 desaparecimentos. Com relação aos localizados foram 205 em 2014 e 106 em 2016.