Campo

Foto: Divulgação

Com o objetivo de promover a geração de renda e o manejo correto do lago da Usina Hidrelétrica de Estreito (UHE), ao norte do Estado, o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) por meio do escritório regional de Araguatins, promove uma capacitação para 16 produtores das Colônias de Pescadores Z8, localizada em Palmeiras do Tocantins, a 477 km de Palmas e Z7 localizada em Tocantinópolis, a 517 km da capital, na região do Bico do Papagaio.

A iniciativa é uma parceria do Ruraltins com o Instituto de Apoio ao Desenvolvimento Social, Econômico e Ambiental de Palmeiras do Tocantins (IDEP) e acontece, até esta sexta-feira, 29, no auditório do Parque de Exposição da Agricultura Familiar Bentinho da Silva Bezerra, local onde todos os anos é realizada a Feira de Alimentação e Produtos da Agricultura Familiar (Feapa).

O treinamento envolve noções sobre associativismo, cooperativismo e o manejo de piscicultura em tanques rede, perfazendo uma carga horária de 20 horas. O engenheiro de pesca e extensionista rural do Ruraltins, Ricardo Anderson Pereira, ministra o curso que visa também preparar os pescadores, a exercer a atividade de piscicultura de forma organizada, uma vez que antes da formação do lago, a pesca era artesanal.

“Esse curso é voltado aos interessados em ampliar a atividade. Além disso, os pescadores precisam de uma certificação da assistência técnica e extensão rural para acessar as linhas de créditos voltadas para a piscicultura em tanques rede, por isso o nosso trabalho é de suma importância”. explicou o engenheiro.

Para Emiliano Dias Carneiro, presidente da Colônia de Pescadores Z8 de Palmeiras do Tocantins, esse trabalho do Ruraltins traz um norte para os pescadores, pois a maioria não tem conhecimento de como produzir nesse sistema. “Estávamos perdidos, não tínhamos conhecimento da produção em tanques rede. Agora graças ao apoio técnico, as orientações aqui repassadas e com acompanhamento vamos conseguir vencer os desafios e produzir. O Ruraltins tem dado todo amparo para nós”, externou Emiliano.

Potencial do Estado

Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), existe hoje no estado uma capacidade de produção anual de quase 300 mil toneladas de pescado em quatro lagos onde estão instaladas as usinas hidrelétricas.

A maior capacidade produtiva está na Usina de Estreito, com mais de 129,6 mil toneladas ao ano. A Usina de Lajeado, construída no Lago de Palmas, tem mais de 89,2 mil toneladas anuais de capacidade de produção. Já a Usina de Peixe Angical possui capacidade de produzir mais de 45,2 mil toneladas anuais de pescado e a Usina de São Salvador mais de 27,2 mil toneladas ao ano.