Saúde

Foto: Vasco Alves

Mobilizar os cerca de 30 mil servidores do Ministério da Agricultura, Conab, Embrapa e Ceplac em todo o País para uma grande campanha de combate ao mosquito Aedes Aegypti (transmissor da dengue, zika e chikungunya) nos municípios brasileiros mobilizou a ministra da Agricultura, senadora Kátia Abreu, nesta sexta-feira, 5, em Palmas/TO.

A ministra, junto com a secretária executiva do Ministério da Agricultura, Mila Jabber, reuniu os servidores do Ministério da Agricultura, Conab e Embrapa no Estado na sede da Delegacia do Ministério em Palmas, onde foi demonstrada a gravidade da epidemia no Brasil e em mais 113 países, com 2,5 bilhões de pessoas em áreas contaminadas. Ainda nesta sexta, a ministra destacou o dia 13 de fevereiro como o dia Z de combate ao Zika Vírus.

A ministra, que desenvolve há dez dias um trabalho de conscientização sobre a importância do combate ao mosquito transmissor, salientou que o Ministério da Agricultura, em consonância com a Presidência da República, está num mutirão nacional contra o Aedes Aegypti. A campanha é coordenada pela Casa Civil e Ministério da Defesa. Para ela, no entanto, não adianta o Governo Federal destinar milhões para o combate ao mosquito, se não houver a participação da população na campanha. “O mosquito voa até 3 km, se não for uma ação conjunta, ele vai para o quintal do vizinho”, disse  a ministra. "É preciso mobilizar a sociedade, conscientizar cada cidadão para a importância de fazer cada um a sua parte", salientou.

Kátia Abreu informou ainda que há um esforço concentrado do Governo Federal para combater o mosquito. A ação é desenvolvida por todos os ministérios, com a participação também do Exército brasileiro. A estratégia no âmbito do Ministério da Agricultura terá como instrumento, inicialmente, visitas de conscientização dos servidores do órgão às empresas e indústrias, demonstrando como se previne o  mosquito, especialmente com a limpeza e cuidados, nos mais de 3 mil frigoríficos e 3 mil laticínios, inscritos no SIF, em todo o Brasil. No Tocantins serão mobilizados cerca de 200 servidores que terão o auxílio de instrutores do Pronatec, Senar e Federação da Agricultura do Estado. Já as residências serão visitadas pelos soldados do Exército.

Segundo a ministra, no Brasil, dos mais de 5 mil municípios, existem 380 cidades com risco maior e outras 160 com risco elevado. No Tocantins, o maior problema está localizado na capital, em função do tamanho da cidade e de sua população. “Uma das principais características para a ocorrência do Zika Vírus é ser mais urbano que rural”, disse a ministra. “A Presidente Dilma determinou aos ministros uma ação urgente de combate à dengue”, destacou Kátia Abreu, salientando que temos que unir a todos no combate ao mosquito.