Meio Ambiente

Foto: Tânia Caldas

Na tarde desta sexta-feira, 04, foi assinado o Termo de Cooperação entre o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e o médico veterinário Fernando Silveira, representante da Bullfrontier, LLC, um dos parceiros desta iniciativa. Em reunião com o presidente do Naturatins Herbert Brito (Buti) e com a médica veterinária do órgão, Grasiela Alves Pacheco, o veterinário, Fernando Silveira apresentou a sua experiência como professor universitário, na área de animais selvagens, por 17 anos no estado do Ohio, Estados Unidos e os seus projetos na área do meio ambiente. 

“A colaboração entre produtor e o órgão ambiental é de extrema importância porque todo produtor tem a uma preocupação enorme como o meio ambiente, com a agricultura, com a pecuária”. E ressalta que essa relação tem que ser de 100%. “Hoje o meio ambiente tem que estar em equilíbrio para reduzir a erosão, preservar as matas ciliares, e também oferecer proteção aos animais”.

O Termo de Cooperação entre as partes irá favorecer uma das etapas do projeto que atualmente conta com seis espécies de antas, sendo um macho e cinco fêmeas que recebem cuidados no Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), em Araguaína. Na próxima semana, os animais serão transferidos para a fazenda, um local com condições adequadas para os animais crescerem, se desenvolverem e reproduzirem com segurança.

O Cetas é fruto de uma parceria entre o Batalhão de Polícia Militar Ambiental e o Naturatins, que recebeu as antas ainda filhotes, sendo necessários cuidados intensivos, principalmente com a alimentação. Na ocasião foram realizados exames para assegurar a saúde dos animais, colocados brincos para identificação, oferecido muito carinho e dedicação aos animais.  Outra fase do projeto é a capacitação pela equipe do Cetas, aos funcionários da fazenda, que estarão hábitos para o manejo correto dos animais. 

Conforme Grasiela Alves Pacheco, que também é Inspetora de Recursos Naturais do órgão, o projeto de conservação e reprodução da anta brasileira no Tocantins visa juntamente com os parceiros e outras instituições de pesquisa, futuramente, gerar um banco de dados com informações sobre a espécie, auxiliando assim, na promoção do desenvolvimento efetivo de estratégias de conservação e manejo destes animais. 

Jardineira da Floresta

“Este projeto será um ganho enorme para a biodiversidade do Tocantins. As antas são herbívoras alimentam-se de frutos, brotos e folhas. Desempenham importante função ecológica como dispersoras de sementes. Os frutos são engolidos inteiros com as sementes, que ao passarem pelo sistema digestório, têm a capacidade de germinação potencializada. Por esta razão, a anta é conhecida como a Jardineira da Floresta”.

Na segunda etapa os filhotes nascidos no cativeiro passarão por um programa de soltura para revigoramento populacional em regiões estratégicas com intuito de aumentar e/ou manter a população no Estado. 

Neste programa serão incluídas ações de educação ambiental, no entorno do município de soltura, para sensibilização da população visando à proteção dos animais.

Para o presidente do Naturatins, Hebert Brito (Buti), o apoio recebido pelo veterinário, Fernando Silveira é muito importante. “Visto que vem de uma pessoa com alto grau de conhecimento, com interesse na reabilitação e proteção dos animais. Para que posteriormente sejam adequados a seu habitat natural”, considerou.

Os interessados em participar do projeto de conservação e reprodução da anta em cativeiro, devem procurar o Naturatins pelo  email dbap@naturatins.to.gov.br .