Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Tocantins na sessão desta terça-feira, 12 de abril, para criticar especulações de uma possível aproximação do partido Solidariedade (SD) com o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB). Wanderlei informou que um viral nas redes sociais tem o incomodado e aproveitou para deixar claro não haver motivo e "assunto nenhum que me interesse no governo do Amastha”, afirmou.

O parlamentar frisou que o Solidariedade é um partido desvinculado com o tipo de governo do prefeito da capital. “Eu não vou dizer que 99% eu esteja fora de um apoio um dia ao Amastha, vou dizer que estou 100% ou até muito mais do que isso. Eu não posso apoiar um governo que não tenho nenhuma concordância com ele. O Solidariedade é um partido totalmente desvinculado desse perfil de governo do Amastha”, disse.

Segundo Wanderlei Barbosa informou, durante reunião com o presidente nacional do SD, deputado federal Paulinho da Força, em que estavam presentes inúmeros deputados ficou decidida a condução do partido no Estado de acordo com orientação local. "Não tenho essa preocupação porque tivemos a afirmação do presidente nacional que o partido trabalharia aqui no Estado de acordo a nossa orientação", disse. 

Barbosa elencou motivos pelos quais o SD não pode concordar com a gestão de Pamas. “E porque não podemos concordar? É pela carga tributária que falou ao contrário no seu palanque, pelo estacionamento rotativo sem discutir com o empresário. É pela falta de cumprimento da legislação na hora de fazer as licitação para as obras e eventos públicos, e pelo servidor público”, frisou. 

O deputado foi ainda mais enfático: “Como que o Solidariedade, um partido originado da movimentação sindical, que tem como seu presidente o Paulinho da Força vai permitir e vai apoiar um governo que manda prender sindicalista? Que manda prender professores? Eu quero dizer que eu e aqueles que me seguem, jamais estaremos ligados ao Amastha”, disse. 

Wanderlei Barbosa ainda lançou alfinetadas no ex-secretário de Integração Social e Defesa do Consumidor, Tiago de Paula Andrino. Barbosa disse que chegou a ver um vídeo em que o Andrino manifestava ser contra a reeleição do prefeito Amastha. “Se o Tiago Andrino é contra a reeleição do Amastha porque que eu vou ser a favor? Eles que mudam muito de opinião política, falam no palanque e depois esquecem hoje temos redes sociais e tudo vira prova contra aqueles que falam. Só quero dizer que o Solidariedade não estará com o Amastha”, frisou.

O deputado adiantou que o SD tem conversado com aproximadamente seis partidos e disse que as discussões estão bem adiantadas para termos um candidato. Vamos ter vários pré-candidatos. Eu sou pré-candidato pelo Solidariedade, Fabiano Parafusos é pré-candidato pelo PRB, Pastor João Campos é pré-candidato pelo PSC”, afirmou. Segundo ele, o SD também tem conversado com o PHS e Pros. 

Vilmar de Oliveira (SD) confirmou reunião com o presidente nacional do SD, Paulinho da Força, em que ficou decidida a autonomia de decisões no Estado. “O presidente nacional do partido foi bem claro na sua decisão. Nós temos total liberdade para escolher aonde o partido deva caminhar no estado. É mais uma fofoca para desarticular a sua candidatura (endereçado ao Wanderlei). Garantimos a vossa excelência a sua candidatura”, afirmou.