Estado

Foto: Divulgação

O Sindicato dos Profissionais da Enfermagem no Estado do Tocantins (SEET) esteve reunido na última segunda-feira, 23, com o presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Tocantins (COREN-TO), Antônio Marcos Coutinho, para solicitar a resolução de algumas demandas levantadas pela categoria.

O presidente do Seet, Claudean Pereira Lima e o diretor jurídico do sindicato, João Batista Alves das Neves reuniram-se juntos ao conselheiro do Coren para solicitar que a autarquia regularize algumas atividades que, por falta de regulamentação, vem sendo desenvolvidas pelos profissionais indevidamente.

Dentre estas atividades, segundo o presidente do Seet, os profissionais de enfermagem no Estado vêm sendo obrigados a chamar os médicos durante o seu horário de repouso e buscar medicações dos pacientes junto à farmácia.

Segundo o presidente do Seet, Claudean Pereira Lima, estas atividades além de fugir da competência técnica do profissional, prejudica a assistência ao paciente, pois de acordo com o presidente só no caso das medicações, por exemplo, o profissional perde cerca de 50 minutos neste processo de buscar a medicação e conferência, tempo este que poderia ser dedicado ao cuidado.

Ainda segundo o presidente, estas regulamentações são de suma importância para os profissionais, pois evita diversos tipos de assédios, “apesar destas atividades não está prevista nas leis que regulamentam a nossa profissão o que temos vivenciado no Estado é que os gestores vêm atribuindo indevidamente essa função aos profissionais de enfermagem, por isso acreditamos que a regulamentação irá inibir este tipo de assédio entre outros que acontecem durante estas atividades”, pontuou Claudean Pereira Lima.

O presidente do Coren garantiu que levará a discussão já para a próxima reunião dos conselheiros e que fará o que estiver ao seu alcance para que estas regulamentações sejam aprovadas.

“Esperamos que esta situação seja resolvida brevemente, o Seet estará acompanhando esta solicitação de perto, além disto, estaremos a disposição da autarquia para contribuir para que esta regulamentação seja implantada”, pontuou o presidente do Seet, Claudean Pereira Lima.