Campo

Foto: Divulgação

O Workshop de Agricultura e Irrigação de Precisão reuniu produtores rurais, estudiosos e representantes do Ministério da Agricultura, Secretaria da Agricultura da Bahia e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), nesta última quarta-feira, 25 de Maio, na Bahia Farm Show. Durante a manhã, o tema foi irrigação e à tarde foi discutida a agricultura, ambas feitas através de softwares que calculam a atuação das máquinas de plantio, defensivos agrícolas e irrigação.

O diretor de Águas e Irrigação da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Cisino Lopes, abriu o evento destacando que o produtor rural tem que adequar o plano de plantio de sua lavoura com a disponibilidade da água, evitando assim o desperdício. “Temos de produzir com equilíbrio para a sociedade nos respeitar”, disse Cisino, lembrando que a alternativa do aquífero Urucuia, reserva de água armazenada no subsolo da região, ainda necessita ser pensada e estudada para se saber a extensão dele e seu uso futuro.

A necessidade da otimização do manejo da água e da irrigação também foi abordada pelo pesquisador da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, Olavo Gabriel Santi, que apresentou o Sistema Irriga, criado em 1999, na própria universidade. Através do portal do Sistema na internet, o produtor contrata o serviço e nele mesmo cadastra a chuva, sempre que ela acontecer. Assim podem ser feitos todos os cálculos necessários para qualquer tipo de máquina e área cultivada irrigada. Com o sistema, a eficiência do uso da água é de 25%, reduzindo perda e economizando energia elétrica. O endereço do portal é www.sistemairriga.com.br

O chefe do Serviço de Agricultura de Precisão do Ministério da Agricultura, Fabrício Juntolli, enfatizou a importância de utilizar 100% de precisão na produção agrícola para economizar recursos e aumentar a produtividade. Segundo ele, “os agricultores adquirem máquinas com alta tecnologia embutida, mas não utilizam nem 60% da potencialidade de resultados, por falta de interpretação adequada dos dados”.

Além da questão econômica, o workshop também abordou a questão ambiental da irrigação racional e precisa. A diretora de Meio Ambiente da Aiba, Alessandra Chaves, explicou as regras ambientais fundamentais para o agronegócio e sua relação com o tema do workshop. De acordo com ela, “a adoção de técnicas da agricultura e irrigação de precisão favorece a aplicação racional de insumos, otimização do potencial produtivo, redução de autos de infração e cumprimento da legislação ambiental”.

Após o workshop, o Ministério da Agricultura e a Embrapa vão determinar as verdadeiras necessidades do Matopiba para que se possa trabalhar pesquisas e projetos.

A Bahia Farm Show acontece no município de Luís Eduardo Magalhães e vai até o dia 28 de maio. A Feira é realizada pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Instituto Aiba e Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), com o patrocínio do Banco do Brasil, Bradesco, Banco do Nordeste, Caixa Econômica Federal, Coelba, Desenbahia, Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães, Santander, Senar/Faeb, Governo do Estado da Bahia e Governo Federal.