Polí­cia

Foto: Webert Araújo

Desde à tarde da última quarta-feira, 03, até a manhã desta quinta-feira, 04, o Sistema de Informações Integradas (Siop) não para de receber ligações da população sobre incêndio na Serra de Lajeado. Até agora foram registradas mais de 15 ligações. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil realizaram um sobrevoo na área para identificar as dimensões da área atingida e direcionar o trabalho de combate.

O fogo começou nas proximidades do estande de tiros da Polícia Militar, o local também concentra várias propriedades rurais que podem ser atingidas. Uma das dificuldades encontradas pelos militares é o acesso, uma vez que, o local é muito acidentado e apenas veículos menores, como caminhonetes conseguem chegar. Ainda em algumas áreas os bombeiros só terão como adentrar a pé e o combate só poderá ser realizado com bombas costais e abafadores.

“Isso dificulta a ação porque não temos condições de levar os caminhões de combate a incêndio que transportam grande quantidade de água. É um trabalho muito delicado e exaustivo”, explicou o subcomandante do 1° Batalhão dos Bombeiros, capitão Danúbio Bezerra.

Ainda de acordo com o capitão outro problema que pode dificultar o combate são os fortes ventos que nesta quinta podem chegar até 23km/h. “Os ventos mudam a dinâmica do fogo a todo momento, o que faz com que tenhamos que mudar as estratégias de combate. Por isso pedimos encarecidamente que os chacareiros e a toda população que não coloquem fogo em suas propriedades”, destacou o Capitão Danúbio.