Meio Ambiente

Foto: Fernando Alves

Atividade de mobilização foi realizada no último sábado, 13 em propriedades rurais no entorno da Capital e no distrito de Taquaruçu. Com orientações e alerta sobre os perigos causados pelas queimadas, o Governo do Tocantins, por meio da Defesa Civil Estadual, em parceria com o Corpo de Bombeiros, Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Batalhão de Polícia Militar Ambiental e Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), realizaram o Dia “D” de controle e combate às queimadas em Palmas.

A ação faz parte do projeto Visita Cidadã, desenvolvido pela Polícia Militar Ambiental e nesta ocasião, orientou chacareiros e produtores rurais no entorno da Capital sobre o não uso do fogo, tópicos da legislação ambiental e possíveis penalidades para quem for autuado em flagrante. De acordo com o superintendente estadual da Defesa Civil, o Tenente Coronel Bombeiro Peterson Ornelas, onze equipes de técnicos dos órgãos parceiros percorreram onze regiões rurais no entorno de Palmas. “ Nosso objetivo é sensibilizar os moradores das zonas rurais no entorno da Capital sobre os perigos das queimadas, também orientar sobre a legislação vigente e divulgar os números 199, da Defesa Civil, 193 do Corpo de Bombeiros e 190 da Polícia Militar caso haja algum registro de incêndio florestal em sua área”, afirmou.

Moradora de uma propriedade rural próximo ao distrito de Taquaruçu, a dona de casa Nilmar Santana Pereira passou por momentos de tensão na última semana, quando viu parte da propriedade rural em que vivem com o marido ser consumido pelo fogo que desceu a serra e chegou muito próximo de sua casa. “O fogo começou à tarde, mas chegou na minha casa por volta das 10 da noite. Até os bombeiros tiveram dificuldade em conter as chamas. Fiquei assustada e com medo. Perdemos encanamento e parte da madeira do curral”, afirmou. 

Mostrando para a equipe de técnicos ambientais os estragos causados pelo fogo, a dona de casa ressaltou a destruição causada pelas queimadas. Adornada por grandes pés de babaçu, no local ainda permanece o cheiro forte da fumaça e a cor negra e cinza causada pelo fogo, que consumiu toda a vegetação seca. “Só não queimou a casa mesmo. Ainda não sabemos como surgiu esse fogo, mas os ventos fortes que passam por aqui fizeram com que ele se alastrasse”, ressaltou.

Já o pecuarista Aldemar Maia Leite, morador da região há mais de 50 anos, teve que deslocar parte do seu rebanho para não perder o gado. “O fogo veio descendo a serra e quando chegou aqui tivemos que correr pra que o gado não morresse. Nós não fazemos queimadas porque precisamos das pastagens mas se o fogo vem de outro local, com o vento forte acaba se espalhando”, ressaltou.

Brigadistas

Também para reforçar o combate aos incêndios em Palmas, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) contratou 15 brigadistas. Os profissionais foram selecionados em caráter emergencial e já passaram por uma capacitação do curso de formação de combate a incêndios florestais, ministrado pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil. Os profissionais receberam uniformes completos e equipamentos que auxiliarão no trabalho de combate ao fogo. Além dos 15 novos brigadistas para Palmas, no mês passado, o Governo do Tocantins contratou 80 profissionais que estão distribuídos em nove municípios considerados prioritários: Lizarda, Novo Acordo, Mateiros, Ponte Alta do Tocantins, São Félix do Tocantins, Formoso do Araguaia, Dueré, Lagoa da Confusão e Pium.