Polí­tica

Foto: Divulgação Pra Ataídes Pra Ataídes "a terceirização é uma estratégia bem planejada, uma armação”

Depois de apresentar ao ministro da Saúde, Ricardo Barros, o pedido de intervenção federal no sistema público de saúde do Tocantins, o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) solicitou que órgãos de controle, como o Ministério Público Federal (MPF), acompanhem de perto as medidas adotadas pelo governo estadual em relação à gestão do sistema de saúde. “Peço ao Ministério Público Federal, essa instituição respeitável e que tanto tem contribuído para a melhoria do nosso País, que fique de olho. Incompetente, o governo Marcelo Miranda quer, com o caos da saúde, inventar uma terceirização. É uma armação”, afirmou.

“Ninguém, em sã consciência, deixaria a situação chegar a esse ponto, independente da falta de capacidade de gestão ou incompetência mesmo”, ponderou Ataídes Oliveira. “Isso que esse governo está fazendo é criar dificuldade para vender facilidade. Logo logo vão querer empurrar uma empresa para administrar a saúde do Estado”, complementou.

Começou por Dianópolis 

Um fato que justifica o alerta, segundo Ataídesl é a divulgação, por parte do próprio governo do Estado, da terceirização do Hospital Regional de Dianópolis (HRD). “O próprio governo divulgou na nossa imprensa que aquela unidade vai ser terceirizada. Eles alegaram que isso será feito por causa das ‘péssimas condições físicas, ausência de material hospitalar e falta de médicos’. É esse plano do governo! Foi o próprio secretário de Estado da Saúde que aí está [Marcos Musafir], que quebrou a saúde do Rio de Janeiro, anunciou isso”, comentou.

Para o parlamentar, com a terceirização, o Estado se exime das responsabilidades. “A terceirização é uma estratégia bem planejada, uma armação. O Estado transfere o serviço para uma empresa que receberá milhões que saem do bolso de todos nós, sem ter nenhuma responsabilidade com o Tocantins”, declarou.