Polí­cia

A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Augustinópolis, indiciou por homicídio qualificado, o estudante de Direito, Felipe de C. V., 20 anos. Conforme apontaram as investigações, o indivíduo é o principal suspeito de matar e esquartejar, Railan de Almeida Sena, 24 anos, fato ocorrido no dia 9 de Setembro de 2016, numa vicinal próxima ao Povoado Sumaúma, município de Sítio Novo/TO, ocasião em que a vítima teve seu pescoço arrancado do corpo, o coração arrancado e colocado dentro da boca, e teve ainda os braços, as pernas e uma orelha cortados.

Após o término das investigações de campo, coordenadas pelos delegados Alicindo Augusto Celestino de Souza, titular da Delegacia de Augustinópolis, e Evandro Gomes Pereira, da Delegacia de Axixá, os investigadores da Polícia Civil esclarecem que as provas já encontradas são cristalinas e suficientes para o indiciamento de Felipe pela autoria do crime.

Durante os trabalhos investigativos, os policiais civis localizaram uma testemunha ocular que, em depoimento, afirmou que já conhecia Felipe e que o reconheceu no momento em que ele estava correndo atrás de Railan com uma faca, vindo a alcançá-lo dentro da casa em que o corpo foi encontrado.

A testemunha afirma que ouviu muitos gritos da vítima pedindo socorro, mas, como ficou com muito medo de também ser atacado pelo autor, correu para o pasto, onde ficou escondido até a chegada da polícia, àquele local.

Conforme o delegado, Felipe foi interrogado na manhã desta terça-feira, 20, na Cadeia Pública de Augustinópolis, onde se encontra detido e, na presença de seu advogado, negou a autoria do crime. O suspeito está preso em razão de mandado de Prisão Temporária, mas o delegado, que preside o inquérito, irá pedir a sua Prisão Preventiva. 

As investigações apontam que Felipe e Railan eram amigos bem próximos, que andavam e bebiam juntos, e Felipe confessou já ter feito uso de droga (maconha) juntamente com Railan, todavia, a motivação do crime que chocou à população do Bico do Papagaio não ficou totalmente clara, ainda.

Umas das hipóteses levantadas pela Polícia Civil é que, possivelmente, tenha sido em virtude de ter saído um comentário, em uma mesa de bar em que Felipe bebia com os amigos, de que Railan teria se envolvido com a namorada do suspeito. (SSP)