Polí­tica

Foto: Divulgação

A senadora Kátia Abreu (PMDB), usou sua conta pessoal do Twitter, neste último domingo, 8, para comentar sobre as mortes dos presidiários, em rebelião, em Manaus, capital do Amazonas. Kátia solidarizou-se, mas posicionou ser contrária a possível indenização às famílias dos mais de 60 detentos mortos. "Me solidarizo com os familiares que perderam seus entes, mas indenização? Quanto mal fizeram e quanta despesas já deram ao País. Inacreditável".

O governador do Amazonas, José Melo (PROS), determinou que a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) inicie os trâmites para a indenização das famílias dos detentos mortos durante a guerra de facções das unidades prisionais de Manaus. "A família da menina estuprada e morta aos 4 anos por um dos bandidos só recebeu os pêsames do Estado. Será que é justo?", comentou a senadora Kátia Abreu.

Para Kátia Abreu, a incompetência, descaso e erro do Estado não justifica outro erro. "Dar apoio as famílias de todas as formas sim, mas indenização? Quantos são assassinados por bala perdida e famílias não recebem nada, nem apoio. Quantos morrem por falta de assistência médica nas portas ou dentro dos hospitais públicos e família nenhuma é indenizada. Faça-me o favor", comentou a senadora. 

Kátia Abreu ainda criticou a facilidade na entrada de objetos nos presídios. "Quando viajamos de avião é impossível passar com algo de metal ou celular. Nos fazem tirar tudo que apita. E nos presídios como entra tudo?", questiona.

A senadora continuou com as críticas. "Os coniventes precisam ser investigados e punidos e o Estado responsabilizado criminalmente. A vida das pessoas não é um brinquedo ou lixo". Para a senadora "com certeza nos presídios tem bandidos dentro das celas e fora delas".

Para o Supremo Tribunal Federal (STF), familiares de presos mortos em Manaus tem direito à indenização. Para a senadora Kátia Abreu, os assassinados nas ruas devem ter o mesmo direito. "Se o STF decidiu sobre tutela do Estado sobre presidiários e que cabe indenização, ótimo! Mas dê o mesmo direito aos assassinados na rua", comentou a senadora. Na visão de Kátia, "todos pagam impostos. Todos tem o direito".