Polí­tica

Foto: Divulgação Milton Neris chamou o prefeito Amastha de malandro Milton Neris chamou o prefeito Amastha de malandro

O vereador Tiago Andrino (PSB), subordinado ao prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), criticou na tribuna da Câmara de Vereadores da Capital, na sessão desta quarta-feira, 22, uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) apresentada na Câmara dos Deputados, na terça-feira, 21, pelo deputado federal Hildo Rocha (PMDB-MA), que prevê que apenas brasileiros natos possam preencher os cargos de senador, governador, vice-governador e o de ministro das Relações Exteriores no Brasil. 

Após o pronunciamento do vereador subordinado ao prefeito, o vereador Milton Neris (PP) o alfinetou e, para completar, chamou o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), de malandro. 

Andrino havia destacado que a PEC pode vir a proibir o prefeito de Palmas de se candidatar a governador do Tocantins nas próximas eleições, já que é colombiano. Andrino criticou a PEC dizendo que a mesma deveria ser chamada de "PEC Amastha" porque, segundo ele, é uma PEC feita para atingir o prefeito, uma vez que políticos do Estado querem barrar a candidatura a governador por parte do gestor. "Acho que essa babaquice de criar uma PEC para o Amastha é algo que desprestigia os deputados federais, desprestigia o Congresso Nacional", disse o vereador subordinado ao prefeito. 

Neris, por sua vez, questionou a importância do prefeito em relação ao País. "Esse País vai fazer lei para Amastha, rapaz?! Quem é Amastha no contexto do Brasil?! Quem que é ele no contexto do Brasil, rapaz?! Se enxerga! O que representa eleitoralmente Palmas e o que representa eleitoralmente o Tocantins no cenário brasileiro? Lei Amastha? Quem tem ouvido tem que escutar besteira, viu!", desabafou. 

Milton Neris, entretanto, disse não querer ver o prefeito de Palmas governador do Tocantins. "Não quero ver o colombiano governador, não quero ver o colombiano senador. É um direito meu de pensar assim". Neris ainda fez um paralelo em relação a receptividade dos brasileiros aos estrangeiros. "Às vezes fico a me perguntar o quanto o povo brasileiro é um povo diferenciado do mundo, não tem igual. Ninguém recepciona qualquer homem ou mulher do mundo como o povo brasileiro. Tenho certeza que se chegar um brasileiro na Colômbia não tem direito de ser governador, de ocupar esses espaços", disse. 

Para Neris, o prefeito esnoba o povo e as regras brasileiras. "Chega um cidadão colombiano e esse País o recebe bem. Diz ele que ele é melhor que os brasileiros porque ele é rico. Chegou aqui puxando a cachorrinha, mas esnoba o nosso povo, esnoba as nossas instituições, as nossas leis, as nossas regras, esnoba a nossa cultura. Cidadão esse que teve a oportunidade de ser prefeito e se levantou contra essa Câmara dizendo que aqui só tinha bandido", criticou. Segundo o vereador, Amastha não respeita a Câmara. "Se ele chama alguém aqui desta Câmara de bandido, eu posso chamar ele de malandro, mentiroso, é mentiroso", frisou. 

Derval de Paiva 

O vereador Milton Neris ainda falou na sessão de hoje sobre posição do presidente do PMDB Estadual, Derval de Paiva, que disse recentemente que o prefeito Carlos Amastha é um "aborto vivo". "Diz Derval que ele (Amastha) é um aborto vivo, por quê? porque ele só vive achincalhando todo mundo. O que ele sabe é xingar, achincalhar todo mundo, mas quando trisca nele a pelinha é fina, é fina porque ele é colombiano, é fino! Malandro, essa é a palavra", disse Neris. 

O vereador disse que o gestor devia era respeitar Derval. "Devia respeitar a história de Derval de Paiva que lutou contra a ditadura, não teve medo de tanque de guerra", concluiu.