Meio Ambiente

Foto: Fábio Gama

Com a chegada do período de chuvas espaças, a redução da densidade de materiais propícios a incêndio no período intenso de seca, especialmente em áreas rurais, passa a ser o foco da agenda prática do Manejo Integrado do Fogo (MIF) no Tocantins.

O Instituto Natureza do Tocantins – Naturatins, junto com a equipe técnica da Área de Proteção Ambiental – APA Ilha do Bananal/Cantão, realizou neste último sábado, 13, a segunda etapa da queima controlada na vegetação rasteira, para redução especialmente do capim seco, no assentamento Nova Canaã, uma reserva que possui aproximadamente 50 alqueires, localizada no município de Araguacema.

A primeira etapa iniciada na última quinta-feira, 11, contou com o apoio da Secretaria Municipal da Agricultura e a colaboração de aproximadamente 15 moradores, para atuação na área de uma Reserva Legal do assentamento. A iniciativa é resultado do diálogo e das oficinas de planejamento realizadas nos últimos 12 meses.

O presidente do Naturatins, Herbert Brito (Buti) falou do objetivo estratégico dessa agenda da queima controlada a partir do mês de maio. “A queima com fogo de baixa intensidade neste período, tem o objetivo de diminuir o material propício a incêndios, entre os meses de agosto e setembro, quando há riscos da ocorrência de queimadas com fogo de alta intensidade e que podem causar prejuízos a biodiversidade, tanto em relação à fauna como à flora; a saúde dos moradores da região, que sofrem com a redução da qualidade do ar; além de perdas de animais domésticos e materiais, como cercas e outras estruturas”, destacou complementando.

“O Estado do Tocantins vem articulando as ações do Manejo Integrado do Fogo em parceria com os municípios e parceiros para reduzirmos nossos índices de foco de incêndio no período crítico. E este ano todas as ações serão intensificadas”, concluiu.

O supervisor de Gestão da Unidade de Conservação, Fábio Brega Gamba, explicou o motivo da escolha do assentamento. “O assentamento Nova Canaã foi escolhido como Piloto, por estar localizado no município sede da APA; pela proximidade da área urbana e principalmente porque, no ano de 2015, esta região foi responsável por 10% do total dos focos de incêndios registrado no Município”, esclareceu.

De acordo com informações do supervisor, a partir de agora, essa atividade será realizada em outras áreas, além da realização de aceiros nas laterais das estradas internas do assentamento, que funcionam como barreira para evitar o alastramento de incêndios.

Ainda, segundo Fábio Gamba, o MIF tem a prerrogativa das queimas controladas, mas são muito usadas as queimas prescritas, em que há o deslocamento da equipe ao local para avaliar a área, verificar as condições do tempo, especialmente se há a presença ou não de ventanias, entre outros aspectos. Esses cuidados tem a finalidade de assegurar o sucesso, com o uso do fogo de baixa intensidade, no alcance dos objetivos, sem riscos de prejuízo. De acordo com a área, o procedimento controlado ocorre, em média, num prazo de 1h a 1h30 de atividade e o fogo por si só se extingue.

Os interessados em obter mais informações sobre como proceder para o agendamento de novas áreas, acompanhamento da equipe ou orientação sobre os cuidados necessários e riscos de procedimento sem o acompanhamento técnico; a Supervisão de Gestão de Unidade de Conservação APA Ilha do Bananal/Cantão se coloca à disposição, de segunda a sexta-feira, das 12h30 às 18h30, por meio do telefone (63) 3472-1131.