Educação

Foto: Divulgação

Um projeto desenvolvido no Centro de Ensino Médio Castro Alves foi um vencedor na etapa regional da 12ª edição do Prêmio Itaú-Unicef. Participaram da solenidade de premiação realizada na última sexta-feira, 27, na cidade de Belém/PA, a diretora Maria do Carmo Ribeiro e a secretária executiva do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente Glória de Ivone (Cedeca), Mônica Brito. A escola já tinha recebido uma premiação estadual no valor de R$ 10 mil, agora, recebeu mais R$ 20 mil.

O projeto de Formação Política e Socioeducativa para o Adolescente é desenvolvido na instituição de ensino em parceria com o Centro de Defesa da Criança e do Adolescente Glória de Ivone, de Palmas, desde 2015.

A parceria entre o Cedeca e a escola começou com a formação de 100 alunos para promover o protagonismo juvenil, com ações como oficinas sobre direitos humanos, educomunicação e teatro. Como resultado dessas atividades, os estudantes realizaram um Fórum Escolar Estudantil e participaram de atividades socioambientais.  Maria do Carmo explicou que essas ações contribuíram para melhorar a leitura e foi uma prática para que alunos e professores discutissem sobre direitos e deveres constitucionais e regimentais.

Maria do Carmo aponta como fator importante a participação dos alunos e da comunidade na tomada de decisões da escola. “Preparamos um momento para compartilhar as normas da unidade escolar com os pais, para que eles conhecessem o Regimento Interno e que pudessem interagir mais na vida escolar dos filhos. Essa formação política da escola é contínua e de significativas aprendizagens para todos nós”, ressaltou.

O estudante Levi Souza da Silva, 19 anos, aluno da 3ª série do ensino médio, que participou do Fórum Escolar Estudantil, disse que gostou de aprender sobre o papel de cada um no ambiente escolar e como são gastos os recursos que a escola recebe. “Com atividades como essas, aprendemos a lutar pelos nossos direitos, aprendemos que temos voz e vez, que poderemos expressar nossas ideias e que elas são respeitadas”, contou.

“Ter uma de nossas escolas premiadas é motivo de orgulho e de alegria. Isso mostra o empenho da equipe em fazer o melhor e não medir esforços para promover a educação de qualidade. Parabenizamos a todos os alunos, professores e servidores que nos proporcionaram essa valorização e esse engrandecimento para a unidade escolar”, explicou Wanessa Zavarese Sechim, secretária de Estado da Educação, Juventude e Esportes.

Escola comemora a conquista

A diretora Maria do Carmo chegou à escola muito feliz, comemorou a premiação com os servidores e alunos. “Conversando com uma mãe, disse que este prêmio representa um reconhecimento pelo nosso trabalho e também é uma forma de divulgar as ações realizadas na escola”, disse.

O CEM Castro Alves ainda concorre na premiação nacional, que ofertará R$ 100 mil ao projeto que apresentar as melhores evidências. A fase nacional será realizada em novembro.

Investimentos na escola

Maria do Carmo explicou que a equipe gestora, com alunos e Associação de Apoio à Escola, optou por investir R$ 10 mil na montagem de uma lan house, com cinco computadores para ser um centro de pesquisas e estudos. “Essa lan house será instalada na biblioteca e os nossos alunos precisavam desse espaço”, frisou.

Os outros R$ 20 mil, a escola vai investir em projetos de climatização das salas de aulas. “A nossa intenção é transformar o espaço de aprendizagem, que é a escola, num lugar agradável e com conforto”, ressaltou.

Categorias de premiação

O prêmio foi dividido em quatro categorias; micro, pequeno, médio e grande. O CEM Castro Alves ganhou o prêmio na categoria grande. Na etapa inicial, foram inscritos 1.652 projetos de escolas de todo o País, desses, apenas 96 foram classificados para e etapa regional. No evento, realizado na cidade de Belém, 24 representantes de projetos compartilharam suas experiências e, desses, quatro foram selecionados, sendo um por categoria, para a etapa nacional.

Com o prêmio, o Itaú-Unicef busca reconhecer e estimular parcerias entre Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e escolas públicas no desenvolvimento de projetos socioeducativos que contribuam com as políticas públicas de educação integral para crianças, adolescentes e jovens.