Geral

A renda da população dos sete estados da Região Norte aumentou 3,3% no período 2005/2006, conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada sexta-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nesse período, o Norte foi a região que apresentou maior crescimento de áreas cobertas por saneamento básico.

Apesar do resultado, Rondônia, Acre e Pará continuam a ser os estados com menor oferta de água encanada do país. Para o supervisor de Disseminação do IBGE, Adjalma Nogueira, mesmo aumentando, o saneamento básico na Região Norte ainda deixa a desejar, se comparado às outras regiões do país. "Enquanto a média do Brasil é de 83%, em Rondônia, são 38% de municípios com água encanada."

A população economicamente ativa (pessoas aptas para trabalhar) da Região Norte foi a que mais cresceu no Brasil no período 2005/2006. O número de pessoas empregadas também aumentou na região: cerca de 88 mil pessoas ingressaram no mercado de trabalho no ano passado, e o índice de trabalhadores com carteira assinada cresceu 1%.

O rendimento médio do trabalhador que tem carteira assinada na região caiu de R$ 790, em 2001, para R$ 734 em 2006. Para os que não têm carteira assinada, caiu de R$ 514 para R$ 509.

A taxa de analfabetismo caiu, abaixo de 0,5%. As regiões Norte e Centro-Oeste tiveram os maiores aumentos no número de estudantes matriculados, 1,3%. Também está na Região Norte o maior número de pessoas acima de 18 anos matriculadas nas escolas: 7,7%.

O IBGE ouviu na pesquisa 410.241 pessoas em 145.547 domicílios em todo o Brasil. A partir de outubro, cerca de 2.000 entrevistadores do instituto vão realizar da Pnad, 2007. Neste ano, a coleta da pesquisa será eletrônica.

Agência Brasil

Por: Redação

Tags: Geral, Municípios, Região Norte, trabalhador