Estado

Através do ofício/Sindifato n° 132/2008, de 16 de setembro de 2008, o Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins (Sindifato) solicitou, ao governo do Estado, a criação do cargo de Agente de Nível Superior Farmacêutico no quadro da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), uma vez que a mesma está contratando vários farmacêuticos para executarem serviços na área dentro das unidades hospitalares, porém como assessor direto (AD), antigo CAD (Cargo de Assistência Direta). Essa prática acarreta prejuízo ao farmacêutico contratado, pois ele realiza as mesmas atividades dos demais profissionais que trabalham nos hospitais, porém recebem quase a metade do vencimento.

“Isso é extremamente deletério para a farmácia, é uma prática antiga, em que estima-se que 250 farmacêuticos estejam exercendo a profissão dentro dos estabelecimentos de saúde do Estado e recebendo uma remuneração bem abaixo daqueles que são concursados.” Explicou o presidente do Sindifato, Renato Melo.

A Sesau possui quase 250 farmacêuticos concursados em seu quadro de pessoal, distribuídos entre unidades hospitalares, assistência farmacêutica, vigilância sanitária, hemocentro, laboratório central, vigilância em saúde e alguns cedidos à outros municípios, através de convênios. Para o Sindicato dos farmacêuticos a necessidade é de pelo menos o dobro, ou seja, 500 farmacêuticos para que os serviços possam ser desenvolvidos com bom funcionamento.

A criação do cargo de agente de nível superior farmacêutico segue o exemplo de outras três categorias da saúde que são contratados e remunerados da mesma forma que os profissionais concursados. Para o Sindicato dos Farmacêuticos o pedido da criação do cargo se trata de justiça e segurança para os farmacêuticos, pois, os mesmos terão a certeza de que serão contratados para exercer a farmácia de verdade e assim como seus farmacêuticos concursados.

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Sindifato

Por: Redação

Tags: Agentes, Estado, Farmácia, Sindicato, Sindifato