Geral

Foto: Divulgação Casa de Força da usina hidrelétrica Casa de Força da usina hidrelétrica
  • Cone de sucção de água da turbina 1

Após 26 meses de obras, a Usina Hidrelétrica de Estreito (UHE) entra este mês no seu primeiro grande marco: o desvio do leito do Rio Tocantins. A expectativa é de que a primeira ensecadeira da usina (uma espécie de proteção feita para a construção da casa de força e dos 14 vãos de regulação do nível da água do rio do vertedouro) seja retirada a partir do dia 19.

Com a mudança no leito do rio, a construção da usina - que terá capacidade de gerar 1.087 MW de energia -, entra na segunda fase das obras civis. Esse é o primeiro passo para a construção da barragem de represamento de água para o enchimento do reservatório de água da usina, que tem uma área total de 400 km².

A expectativa é de que o enchimento do lago seja iniciado no início do segundo semestre do ano que vem. Com a formação do lago da usina, são formadas as condições para operacionalizar a geração de energia em Estreito e, pelo cronograma atual, a estimativa é de que a primeira turbina comece a funcionar a partir do dia 1° de outubro de 2010, portanto daqui a pouco mais de um ano.

Conforme informações dos engenheiros do Consórcio Estreito Energia (Ceste), responsável pela construção da usina e formado pela Suez Energy, Vale, Camargo Corrêa e Alcoa, pelo menos 95% das obras civis do vertedouro e aproximadamente 40% da casa de força, onde ficarão as oito turbinas de geração de energia, já foram concluídas.

A previsão é de que todo o serviço de concretagem do vertedouro já tenha sido encerrado na segunda quinzena deste mês, faltando apenas a instalação das comportas dos 14 vãos da usina. As obras na Usina Hidrelétrica de Estreito (excluindo-se a fase relacionada à formação do canteiro de obras) foram iniciadas dia 15 de junho de 2007. A obra possui 7.500 trabalhadores que vivem no alojamento do canteiro de obras e mais 500 que vivem nas cidades próximas.

A energia que será gerada pela UHE Estreito poderá abastecer uma cidade com mais de 4 milhões de habitantes. O nível de água máximo normal do reservatório na área da barragem de Estreito ficará na cota 156,0m.

Localização

A Usina de Estreito está localizada ao norte do Tocantins e sudoeste do Maranhão. O barramento estará situado entre os Municípios de Palmeiras do Tocantins e Aguiarnópolis, no Tocantins, e Estreito, no Maranhão.

Os municípios da área de abrangência da UHE Estreito, que considera não só o local da barragem, como também o respectivo reservatório e entorno, são: Carolina e Estreito, no Maranhão; Aguiarnópolis, Babaçulândia, Barra do Ouro, Darcinópolis, Filadélfia, Goiatins, Itapiratins, Palmeirante, Palmeiras do Tocantins e Tupiratins, no estado de Tocantins, totalizando 12 municípios.

Detalhes da Usina Hidrelétrica Estreito

Início das obras: 15 de fevereiro de 2007

Custo do empreendimento: cerca de R$ 3,6 bilhões

Potência instalada da usina (capacidade nominal instalada): 1.087 MW

Energia assegurada: 584,9 MW médios

8 unidades geradoras Kaplan, de 135,87 MW cada

Barragem: 537m de comprimento e altura máxima de 57 m

Início de enchimento do reservatório: 2010

Início da operação da primeira turbina: 2010

Compensação financeira pela utilização de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica aos estados e municípios que terão área alagada pela formação do reservatório da UHE Estreito: cerca de R$ 20 milhões anuais

Recursos sobre geração de impostos durante a construção da barragem: cerca de R$ 190 milhões

Recursos sobre geração de impostos após a construção da barragem: cerca de R$ 170 milhões/ano

Localização: a 130 km da Cidade de Imperatriz/MA e 513 km da Cidade de Palmas/TO. Acesso ao canteiro de obras pela Rodovia Belém – Brasília

Da redação com informações Imirante

Por: Redação

Tags: CESTE, Rio Tocantins, UHE Estreito