Geral

Foto: Divulgação

O Consórcio Estreito Energia (Ceste) irá revegetar aproximadamente 4.300 hectares na faixa de proteção ao longo do futuro reservatório a ser formado com o barramento da UHE Estreito. A previsão de conclusão desse trabalho é de quatro a cinco anos após formado o lago. Serão utilizadas cerca de 30 espécies diferentes.

Atualmente o Ceste se prepara para dar início à 3ª etapa dos trabalhos de revegetação na Área de Preservação Permanente (APP) do rio Mosquito, no município de Palmeiras do Tocantins (TO). Serão revegetados, ao todo, 178 hectares, sendo que 27 hectares já foram recuperados nas primeira e segunda etapas realizadas em dezembro de 2008 e maio de 2009, respectivamente. Para a 3ª etapa, a ser iniciada ainda em janeiro, serão utilizadas cerca de 170 mil mudas para o replantio de 151 hectares.

O gerente de Meio Ambiente do Ceste, Luciano Madeira, explica que esse trabalho irá garantir a proteção do reservatório por meio da recomposição da mata ciliar, além de contribuir para a melhoria da qualidade da água. “Iremos restaurar ambientes degradados, contribuir para a preservação de espécies e sensibilizar a população para a importância da preservação das APPs”, disse.

Madeira destaca ainda que, para a aquisição das mudas, serão priorizados viveiros da região, bem como mão de obra local para a realização dos trabalhos. “A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) foi contratada para gerenciar o projeto de revegetação. O Ceste conta ainda com a parceria da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) que fornece mudas e sementes coletadas na região de abrangência da UHE Estreito”, concluiu.

Fonte: Assessoria de Imprensa UHE Estreito