Geral

Foto: Divulgação

Durante a tarde de ontem, terça-feira, 09, o deputado estadual José Geraldo de Melo (PTB) esteve reunido com o diretor de planejamento e projetos especiais da Rede Celtins, Joaquim Guedes, e acompanhantes, para cobrar esclarecimentos sobre os constantes problemas de fornecimento de energia e demora no atendimento de serviços ocorridos em todo o Estado do Tocantins.

Na reunião foram citados pelo deputado, exemplos concretos de comércios, residências e prefeituras que sofreram e sofrem com os “apagões” e com os altos custos da conta de energia. Reforçando assim, os constantes constrangimentos e “dores de cabeça” relacionados à perda de eletrodomésticos, eletroeletrônicos, mercadorias, dentre outros, que o consumidor tem passado já há bastante tempo. “Vocês devem ter registros da quantidade de reclamações diárias sobre a falta de energia e a péssima qualidade do serviço. São fatos reais, que não podem e não devem ser ignorados”, salientou José Geraldo.

Sobre as oscilações, a Rede Celtins informou que o Estado se encontra em uma zona com grandes índices de descargas elétricas, um dos fatores que ocasionam a falta de energia e problemas na rede. Para o deputado essa não foi uma justificativa plausível já que tendo essa estimativa em mãos, a Rede deveria providenciar soluções para, no mínimo, amenizar as quedas. Tendo em vista que, a população paga a conta de energia em dia e não pode também “pagar” pelas falhas da empresa.

No final da reunião, o deputado cobrou quando o povo tocantinense poderá ter melhorias no que concernem essas questões. “Estamos investindo 127 milhões em melhorias de infraestrutura para o Estado do Tocantins, estimamos que as obras serão concluídas até o final de 2011. O que significa que estamos dando oportunidade para todos terem energia, mesmo que isso implique em diminuir, por certo período, a qualidade dos serviços”, informa Guedes. Com esse gancho, o deputado concluiu: "em síntese, o senhor quer dizer que existem investimentos para ampliar as redes, mas não existem investimentos concomitantemente para dar qualidade ao serviço, no sentido de estabilizar o sistema”. Guedes retrucou dizendo que após a conclusão desses projetos, os serviços da Rede Celtins irão melhorar significativamente, porém “parar de oscilar nem em grandes centros como Nova York”, ironizou o diretor.

Apesar da comparação, o parlamentar deixou claro que continuará “fiscalizando” e cobrando os direitos da população: “primo pela qualidade de vida das pessoas. E volto a dizer que queremos um serviço de excelência, que assegure empregos e condições mínimas para que a população tocantinense tenha uma vida digna”, disse o deputado.

Audiência Pública

Essa foi apenas uma reunião preliminar. Uma audiência pública no Plenarinho da Assembleia Legislativa será marcada pela Comissão de Administração, Trabalho, Defesa do Consumidor, Transporte e Desenvolvimento Urbano e Serviços Públicos, juntamente com o deputado José Geraldo e com a diretoria da Rede Celtins, para maiores esclarecimentos sobre: as oscilações de energia no estado do Tocantins; perda de empregos na área administrativa financeira; e transferência da manutenção dos transformadores para Belém.

Concessão

A concessão da Rede Celtins é feita pelo Ministério das Minas e Energia e quem aprova é a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). No total, são 30 anos de concessão. A Rede Celtins recebeu a concessão em 1989, porém só foi assinada em 1999, por isso esta durará até 31/01/2020.