Geral

Foto: Divulgação Exposição mostra objetos antigos encontrados em Babaçulândia Exposição mostra objetos antigos encontrados em Babaçulândia

Desenvolvendo o programa ambiental de resgate e valorização do patrimônio histórico, cultural e paisagístico dos doze municípios da área de abrangência da UHE Estreito há mais de dois anos, o Consórcio Estreito Energia (Ceste), por meio do Núcleo Tocantinense de Arqueologia (Nuta), apresentou nesta semana emBabaçulândia-TO, uma exposição com os materiais coletados no município, em um dia voltado para a educação patrimonial.

Além da exposição, palestras e dinâmicas foram desenvolvidas, que contaram com a participação do prefeito de Babaçulândia, Alcides Filho, secretários municipais, representantes do Ceste e do Núcleo Tocantinense de Arqueologia da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins).

A coordenadora do programa, professora Maria Custódia, explica que o dia de educação patrimonial teve como objetivo orientar e embasar os professores das redes municipal e estadual de ensino, para atuarem como multiplicadores, mostrando aos seus alunos a grande riqueza cultural que existe no município e a importância de sua preservação. “Somente através do conhecimento, as pessoas poderão perceber e valorizar cada objeto ou elemento da história e cultura de seu município. Patrimônio esse que pertence a todos os brasileiros”, disse.

Custódia disse ainda que o trabalho de educação patrimonial foi iniciado desde as primeiras visitas às comunidades onde se buscavam identificar os sítios arqueológicos. “Hoje é o fechamento de todo esse trabalho que desenvolvemos desde 2007, mas a educação patrimonial se iniciou nas primeiras visitas, explicando à população o que eram os vestígios arqueológicos, paleontológicos e a importância desses elementos, para que eles compreendessem, também, um pouco de suas origens”, concluiu.

Durante o dia de educação patrimonial, ficaram expostos ao público, elementos arqueológicos, paleontológicos e histórico-culturais encontrados em Babaçulândia, como fósseis vegetais, datados de milhares de anos, cerâmicas e objetos utilizados pelos antepassados das principais famílias da região, dentre outros materiais.

“Temos muita satisfação em promover o resgate histórico, cultural e paisagístico de toda região interferida pela UH Estreito e esperamos que a sociedade sinta-se responsável por este trabalho que foi iniciado. Que este dia seja apenas um despertar para que cada vestígio histórico aqui encontrado seja preservado para a memória e para a história dessa cidade”, declarou o gerente de Planejamento do Ceste, Marcos Duarte.

Satisfeito com o resultado do trabalho desenvolvido, o prefeito de Babaçulândia, Alcides Filho, convocou todos os presentes a preservarem o patrimônio encontrado. “Esse importante trabalho desenvolvido pertence a toda comunidade. É importante que todos entendam isso, valorizem e passem adiante esse conhecimento”, declarou.

Fonte: Assessoria de Imprensa UHE Estreito