Geral

Foto: Divulgação

Em entrevista coletiva concedida após a inauguração do Centro Estadual de Reabilitação - CER, o governador Carlos Gaguim (PMDB) rebateu as críticas feitas pela senadora Kátia Abreu (DEM) ao governo do Tocantins.

Quando perguntado sobre as denúncias da democrata, Gaguim foi enfático ao afirmar que ação de Kátia Abreu “é desespero”. O governador logo tratou de desqualificar as acusações da democrata afirmando que atitude de Kátia Abreu não pode ser considerada denúncia. Para o governador, uma denúncia precisa ser assinada, protocolada, para haver uma investigação. “Isso aí, ela ouviu falar”, completou acidamente.

Irregularidades na campanha

Sobre acusação de uso da máquina pública para campanha eleitoral, Gaguim afirmou que passou orientações para o seu secretariado no sentido de evitar problemas com a justiça. O governador ressaltou que antecipou a acusação da senadora, pedindo aos secretários que “não fizessem nada no período eleitoral, que não usassem a máquina pública, que não pegassem nada de secretaria sem aval do tribunal de contas”, afirmou.

Comissionados

Carlos Gaguim afirmou que tem estado sempre no gabinete da ministra Carmem Lúcia do Supremo Tribunal Federal para garantir que os 21 mil comissionados não sejam demitidos pela ação movida pelo PSDB. De acordo com o governador, desde que a ação foi impetrada no supremo, a senadora Kátia Abreu vem se omitindo. Gaguim ressalta que nunca viu a senadora na tribuna do senado defendendo a causa dos funcionários. “Eu nunca vi ela movendo uma palha em nenhum momento”, alfinetou.

Gaguim fez menção à visita do presidente do STF, Gilmar Mendes, ao Tocantins, lembrando que o ministro almoçou na casa da senadora. Neste momento o governador fez como se dirigisse a palavra diretamente para Kátia e exclamou: “eu estou fazendo um pedido de público. Senadora, me ajude!”. O peemedebista destacou que a senadora poderia ter aproveitado a visita do ministro do supremo para reforçar o não-julgamento da ADI 4125 que demite os funcionários comissionados.

O governador não pediu ajuda somente no caso da ADI dos comissionados. Gaguim ressaltou que a senadora poderia usar a sua influência que tem junto ao presidente do Supremo e com a mídia para trazer mais verbas para os cofres do Estado. Segundo o chefe do Executivo estadual, o Tocantins precisa de ajuda para a liberação de verbas nas áreas de saúde, educação, geração de emprego e renda. “Eu nunca vi um centavo que ela liberou”, disparou.