Polí­tica

Foto: Divulgação

A Assessoria de Imprensa do candidato ao Senado, Vicentinho Alves (PR) informou que o prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) teve autorização do ministro das Relações Institucionais da Presidência da República, Alexandre Padilha, para apoiar o republicano. Sendo assim, Raul não apoiará Marcelo Miranda (PMDB) nem Paulo Mourão (PT), candidatos ao Senado da majoritária do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB).

A autorização de Padilha, conforme a assessoria, aconteceu durante reunião nesta terça-feira, 27, em Brasília. Por meio da assessoria foram ainda divulgadas informações de que na próxima segunda-feira, 2, Raul fará um evento para declarar apoio a Ribeiro e Vicentinho, bem como alguns vereadores de Palmas da base do prefeito.

A informação não foi bem recebida pelo presidente estadual do PT, Herlan Torres, que em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta quarta-feira, 28, disse que ainda não foi comunicado por Raul sobre o apoio a Vicentinho e Ribeiro nem sobre a liberação concedida pelo ministro.

“O Padilha é um ministro de Estado, quem tem que liberar é o presidente”, frisou, ressaltando que o prefeito terá que solicitar a permissão para apoiar os republicanos é na instância partidária estadual.

“É o partido que faz a liberação do filiado, isso é estatutário, a liberação tem, que ser do partido”, disse.

Herlan deixou claro que caso o prefeito siga com os apoios sem consultar o partido, irá tomar as providências dentro das penalidades previstas no estatuto do PT. “As penalidades vão desde a advertência até a expulsão e o partido tomará as providências”, disse, ressaltando a importância da fidelidade partidária.

Especulações

Nos bastidores circulam especulações de que Raul estaria pensando em desfiliar do PT para ingressar no PR. Além da proximidade com o partido, os últimos episódios internos na sigla seriam os motivos.

A inauguração de um ponto de apoio onde a deputada estadual Solange Duailibe (PT) aparece com o candidato a federal do PR, Otoniel Andrade e ainda com Vicentinho também causou polêmica. No entanto Solange argumentou que apoia os candidatos ao Senado da coligação Força do Povo e que o ponto de apoio foi organizado pelas lideranças da região norte da capital.