Geral

Foto: Divulgação

A 60 dias das eleições, a coligação do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB), Força do Povo confirmou para o dia nove de agosto a vinda do ministro das relações institucionais, Alexandre Padilha ao Estado.

Padilha, que é um dos aliados mais próximos do presidente Lula, fará uma reunião em Palmas com as lideranças petistas do Estado bem como com os prefeitos do partido em prol da reeleição do governador. O ministro foi ainda um dos responsáveis pela aliança entre o PT e PMDB no Estado para este pleito de outubro.

A mobilização acontecerá em Palmas mas ainda não há confirmação se a coligação aproveitará a data para fazer um comício.

Já a vinda da candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, conforme o apurado pelo Conexão Tocantins, e ainda do presidente acontecerá apenas em setembro. A preferência foi, conforme as informações, do próprio presidente e da presidenciável.

Gaguim cumpre agenda institucional em Brasília nesta terça-feira, 03, e deve ainda sondar uma data junto à coordenação de campanha de Dilma para a vinda da petista ao Tocantins. Dilma pontua na frente em todas as pesquisas realizadas no Estado até o momento.

A organização da campanha de Dilma no Estado tem à frente o prefeito de Colinas do Tocantins, José Santana Neto (PT) que já adiantou ao Conexão Tocantins que todos os partidos da base do PT nacional devem estar juntos na vinda da petista ao Estado.

Santana afirmou em entrevista no início da tarde de hoje que o ministro Padilha está mesmo disposto a vir, mas adiantou que a data pode ser mudada em função de outros assuntos. "Ele virá sim, ele está disposto a vir", afirmou. O coordenador confirmou ainda a previsão da vinda de Lula e Dilma apenas no último mês de campanha.

Partido da República

O PR, presidido no Estado pelo senador João Ribeiro, tenta também uma agenda separada com Dilma, que é apoiada também pela legenda no Estado.

Para o grupo em torno do governador, a vinda do presidente e de Dilma vai acentuar uma vantagem significativa de votos com relação ao ex-governador e candidato do PSDB, Siqueira Campos que já teve agenda no Estado com o presidenciável, José Serra.