Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado federal e candidato à reeleição, Júnior Marzola (DEM) estuda sua situação política no pleito desse ano e comunicará ainda nessa semana seu posicionamento. Em entrevista ao Conexão Tocantins,Marzola afirmou nesta quarta, 4, que está decidindo quais procedimentos irá tomar.

Com a candidatura colocada e inclusive aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral, o democrata reclama da falta de apoio por parte do partido. “ Até agora não recebi nenhum apoio, o João Oliveira não me ligou nem uma vez”, disse abordando ainda a confirmação da candidatura do filho da senadora Kátia Abreu, Irajá Silvestre, na disputa.

“A partir do momento que o partido lançou o Irajá não tive nenhum apoio”, frisou.

Marzola já pediu para retornar à presidência da federação de agricultura e pecuária e foi em claro na entrevista quando indagado se há a possibilidade de ir para o palanque do governador e candidato à reeleição, Carlos Henrique Gaguim (PMDB). “Não descarto e nem confirmo”, afirmou na entrevista.

Marzola afirmou em vários momentos da entrevista que quando tomar a decisão que melhor achar conveniente irá comunicar a todos.“Estou acertando a minha vida”, disse.

Uma das possibilidades do democrata é desistir da candidatura.

Fidelidade ao partido

Mesmo com as declarações, Marzola destacou em um trecho da entrevista que enquanto estiver no DEM será fiel ao partido. “Enquanto eu estiver no DEM vou seguir a orientação do partido”, disse comentando ainda que continua na Câmara Federal seguindo com o mandato na cadeira do presidente do partido, João Oliveira.

O DEM pretende eleger dois deputados federais e trabalha como prioridade as candidaturas do filho de Kátia e da ex-secretária de educação, Dorinha Seabra.