Polí­tica

Ao falar para a população do setor Jardim Taquari, em Palmas, na noite desta terça-feira, dia 06, em comício realizado na avenida principal do setor, que é um dos mais afastados e carentes de benfeitorias da Capital, o candidato ao Senado, Paulo Mourão (PT), pela coligação Força do Povo, foi fortemente aplaudido pela comunidade.

Mourão criticou o aumento no preço da passagem de ônibus, autorizado pelo poder público municipal. A tarifa passou de R$ 2,00 para R$ 2,20, um aumento de 10%. Paulo Mourão apontou que existem outras maneiras que podem ser buscadas para subsidiar os gastos das empresas, como redução fiscal para o setor, a fim de que quando houver necessidade de reajuste a conta não fique para o usuário do serviço.

Mourão também falou dos problemas enfrentados pela comunidade, como a falta de infra-estrutura básica, saneamento, asfalto. Com cerca de 4.500 moradores e oito anos de criação, o Taquari não tem uma única rua asfaltada e ainda convive com muita poeira. Agora que as máquinas iniciaram o trabalho de terraplenagem para iniciar a construção do asfalto. “Em Porto, primeiro fizemos o esgoto, depois o asfalto”, explicou Mourão, numa referência à sua gestão como prefeito de Porto Nacional, que fez esgoto em quase toda a cidade, e depois construiu o asfaltamento.

O petista fez um compromisso de trabalhar pela geração de empregos e desenvolvimento sustentável. “Temos que apoiar o trabalhador, garantindo oportunidade, gerando empregos, gerando renda, juntos com a presidente Dilma, o governador Gaguim e o senador Marcelo Miranda vamos promover o desenvolvimento do Tocantins, garantindo a educação infantil e o ensino profissionalizante, garantindo as agroindústrias que vão gerar empregos”, discursou.

Mourão também destacou em seu discurso a missão que recebeu do presidente Lula de unir forças a Gaguim em prol da garantia de continuidade de um projeto que tem como principal objetivo a melhoria de vida da população. Ele foi aplaudido novamente quando pregou a união da chapa Força do Povo para eleger os candidatos da coligação e enfatizou que quando sobe no palanque pede voto para todos. “Não se pode fazer política que não seja assim”, afirmou.

Da redação com informações da Assessoria de Imprensa/ Paulo Mourão