Polí­tica

O procurador Federal da República no Tocantins, Álvaro Manzano impetrou por volta das 14 horas deste domingo, 26,um mandado de segurança visando a derrubar a liminar do desembargador Liberato Costa Póvoa que impede a imprensa regional de divulgar informações a respeito da investigação do Ministério Público de São Paulo sobre suspeitos de atuarem em quadrilha de fraude de licitações que citam o governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB).

Em entrevista ao Conexão Tocantins, Manzano explicou que aguarda ainda neste domingo uma manifestação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sobre o assunto .

Na base da argumentação está a liberdade de imprensa. “Eles alegam que as informações divulgadas estão sobre sigilo, só que o sigilo não atinge a imprensa, sendo assim os veículos tem o direito de divulgar”, frisou o procurador.A coligação alega que não há investigação contra o governador e nem informações oficiais sobre o relatório.

Segundo informou a Assessoria de Imprensa do TRE, o mandado de segurança está nas mãos do presidente da corte, desembargador José de Moura Filho e o relator nomeado é o juiz Luiz Zilmar Pires.

A liminar de Liberato foi em resposta a uma ação impetrada pela Força do Povo, coligação do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB). O assessor jurídico da coligação, Sérgio do Vale frisou em entrevista coletiva que as informações divulgadas estavam sendo “desvirtuadas” o que, segundo ele, justificou o que chamou de “atitude extrema”.

A coligação vai tentar ainda estender a proibição aos veículos nacionais, de onde as notícias estão sendo originadas. Os veículos regionais ainda não começaram, segundo as informações, a serem notificados sobre a proibição.

Comentando sobre o mandado de segurança do Procurador Federal, o advogado da coligação Força do Povo, Sérgio do Vale frisou que ainda não tem conhecimento do documento.