Educação

Com uma amostra dos trabalhos realizados pelos núcleos que atendem as pessoas com surdez, cegas ou as que têm baixa visão e altas habilidades, a Diretoria de Inclusão da Secretaria da Educação apresentou as propostas de ações para 2011, durante reunião realizada nesta sexta-feira, 18, no Hotel Turim, em Palmas.

O trabalho de inclusão elaborado pelo Governo do Estado por meio da Secretaria da Educação consta de formação de professores, ampliação do material didático específico, abertura de novas salas de recursos nas escolas, continuar com o apoio pedagógico/financeiro para as 24 escolas especiais APAES e ampliar os recursos tecnológicos para facilitar o acesso de todos à escola.

Nos núcleos de atendimento denominados de CAS - Centro de Capacitação de Profissionais de Educação e Atendimento às Pessoas com Surdez, CAP – Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual e NAAH/S – Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/superdotação, educadores, alunos e familiares tem à disposição material didático traduzido e orientação. No CAP são produzidos material em braile, atualmente, o acervo consta de mais de 300 obras.

Outra ação para 2011,é a elaboração de estatísticas para se conhecer o número de alunos surdos, cegos ou com baixa visão e altas habilidades. No ano passado, 42 alunos cegos freqüentaram escolas públicas no Tocantins.

Quanto a pessoas com altas habilidades, a professora Elza Maria Barbosa de Melo, do NAAH/S, explicou que no país somente existem 7 doutores e 50 mestres, em altas habilidades. “É preciso ter um levantamento dos alunos com altas habilidades e procurar parcerias para a realização de ações inovadoras”, frisou Elza.

Por meio da Coordenação do Ensino Especial, o Governo do Estado, atende os estudantes de rede pública ou privada que necessitam de material específico, além de promover a capacitação constante e integração entre os profissionais que atuam nestas áreas.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Seduc