Polí­cia

Foto: Rogério Ribeiro

Os familiares do almoxarife Everaldo Moraes de Araújo, 35 anos, morto durante uma ação da polícia militar ocorrida na semana passada, serão recebidos nesta quinta-feira, 07, pela Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Tocantins. O encontro acontece às 16h30, na sede da Ordem, na Capital.

A Comissão, presidida por Deocleciano Gomes, vai colher informações sobre o caso, para definir as medidas que serão adotadas. O assunto será um dos temas discutidos entre o Conselho da OAB/TO, nesta sexta-feira, 08, durante sessão ordinária, marcada para iniciar às 14 horas.

Entenda o caso

Everaldo foi morto na última sexta-feira, 01, atingido por dois tiros quando deixava uma pizzaria na Avenida JK, com a namorada Mara Rúbia Costa, 29 anos. “É impossível alguém ser alvejado duas vezes por bala perdida, isto é disparo direcionado. E se partiu realmente de uma arma da polícia é uma demonstração completa de despreparo dos policiais. Se a polícia que é responsável pela segurança age dessa forma, como fica a sociedade”, afirmou o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Tocantins, Ercílio Bezerra.

De acordo com informações da família, Everaldo teria sido confundido pela polícia com um dos assaltantes que teriam roubado, minutos antes, um supermercado da quadra 103 Norte, na Capital.

Fonte: Assessoria de Imprensa/OAB