Polí­tica

Foto: Arquivo Conexão Tocantins

O Partido Progressista que tem à frente o deputado federal Lázaro Botelho começou a semana com movimentações em prol das eleições do próximo ano. Líderes de vários municípios estiveram hoje com a cúpula da legenda discutindo nomes disponíveis para 2012.

Em Palmas o Partido articula com o empresário Carlos Amastha que deixou os quadros do PV e já manifestou interesse de tentar construir uma candidatura à prefeito da capital. Amastha confirmou ao Conexão Tocantins nesta segunda-feira, 12, que foi convidado por Botelho para ingressar na legenda e que analisa possibilidade.

Micheline Cavalcante, esposa do vereador Aurismar Cavalcante assumiu a comissão provisória do Partido na capital que será responsável para organizar uma convenção onde de fato será criado o diretório municipal. A assessoria do vereador Cavalcamte informou mais cedo que Micheline assumiu o diretório.

Movimentação

Segundo revelou o secretário geral do PP, Robson Ferreira a articulação em torno do Amastha é visando a construção de uma candidatura. “Estamos na incubência de promover o crescimento do Partido, estamos acertando a vinda de prefeitos de outras legendas para disputar a reeleição”, salientou. Atualmente a legenda tem seis prefeitos, mas dois já sinalizaram que deixarão os quadros da sigla.

O secretário geral frisou ainda que a intenção do Partido na capital é unir forças e lançar um nome próprio para a disputa na Prefeitura de Palmas bem como aumentar o número de vereadores. “Queremos acertar os ponteiros e que a vinda do Amastha seja bom para ele e bom para o Partido também”, salientou.

Questionado se o PP está incluído no grupo de oposição ao governador, Robson frisou que a preocupação com as alianças não é o principal fator nesse momento. “Esse é o momento de conseguir candidatos, depois é que vamos pensar nas alianças. Não estamos pensando em ser oposição ou fazer parte do Governo Estadual, afinal o governador não é candidato, a disputa é em Palmas”, frisou.

Palmas de Coração

Oficialmente o PP assinou documento que cria o movimento chamado de suprapartidário para discutir o pleito do próximo ano. Nesta terça-feira, 13, o grupo de partidos da base do governador Siqueira Campos (PSDB) vai se reunir e o PP não faz parte. Micheline e Cavalcante são aliados do governo mas a direção estadual do partido não compõe a base de sustentação.

Damaso

O vereador de Palmas José Hermes Damaso (PDT) é outro nome que está sondado para ingressar na legenda. Damaso já afirmou ao Conexão Tocantins que está insatisfeito no PDT. Outros vereadores da capital também sondam a mudança de legenda.