Polí­cia

Foto: Divulgação

O motorista, Gilberto Afonso de Sousa, 45 anos, se apresentou espontaneamente na Delegacia de Polícia Regional de Tocantinópolis, nesta última sexta-feira, 6. Gilberto é acusado de matar o professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Cleides Antonio Amorim, num bar no centro de Tocantinópolis na última quinta-feira, 5.

De acordo com o delegado, Rommel Rubens Costa Rabelo, em depoimento o motorista afirmou não se recordar de ter furado a vítima, nem onde teria deixado a faca usada no crime e que só ficou sabendo que o professor havia falecido quando resolveu se apresentar às autoridades.

Gilberto alegou não conhecer a vítima e disse ter sido agredido por ela e mais dois ou três homens no momento em que deixava o estabelecimento por volta de 1h30 da madrugada da ocorrência. O acusado ainda afirmou ter sido muito espancado com chutes e pontapés principalmente na cabeça, o que lhe causou inúmeras escoriações e esquecimento dos fatos que aconteceram em seguida, pois não se lembrava de muita coisa com exatidão.

Afonso de Sousa concluiu seu interrogatório dizendo que, apesar de não lembrar de muita coisa, não havia xingado ninguém de veado, pois não era preconceituoso. (Ascom SSP)